Pare de jogar dinheiro fora com publicidade no Facebook

marketing-no-facebook

Pare de jogar dinheiro fora com publicidade no facebook.

Com o crescimento da utilização da internet como ferramenta de marketing, surgiu um jargão no mundo da publicidade que diz: “a maior vantagem da mídia social é a possiblidade de medir resultados de forma mais fácil e precisa”. Essa afirmação é muito verdadeira, porém o que mais vejo por aí, são empresas fazendo marketing digital da forma errada. Pare e pense por um instante se você consegue responder as seguintes perguntas facilmente. Quantos acessos meu site teve, na última semana? Quantos leads (potenciais clientes)foram gerados através das minhas campanhas no facebook, na última semana? Qual é o CPL (custo por lead) da última campanha de facebook que eu contratei? Qual é o CPA (custo por aquisição) da última campanha de facebook?

dinheiro-no-lixo

Se você não soube responder todas ou algumas dessas perguntas, é muito provável que você esteja jogando dinheiro fora através das ações de marketing digital. Fazer postagens sem um correto planejamento de jornada de compra com a definição de uma persona, por exemplo, é atirar no escuro. Medir resultado de uma ação no facebook através do número de curtidas ou compartilhamentos que um post teve, é quase tão amador quanto um pintor avaliar seu trabalho pelo número de galões de tinta que ele gastou para pintar uma casa. O imóvel pode até ter ficado lindo por fora, mas era realmente o resultado esperado? O custo por galão atendeu o planejamento que foi feito? Você precisava realmente de uma pintura tão robusta para esse imóvel? Mesmo sendo apenas uma analogia simplória, essa pequena história nos convida a refletir sobre o assunto, cuidado com posts “bonitinhos”, mas ordinários no facebook. Toda ação precisa ter objetivos claros de geração de leads, oportunidades, clientes e mensuração de CPL e CPA.

Você até pode sentir algum tipo de procura adicional pelo serviço ou produto que vende, fazendo publicidade online da maneira errada. Mas é importante que você tenha plena consciência de que está utilizando uma ferramenta como a mídia social apenas como mídia broadcast*, isto é, você está comprando anúncios em uma plataforma que permite interações, cadastros e conteúdo da mesma maneira que fazia há 10 anos atrás quando apenas fazia propaganda na TV, no rádio, outdoor, etc. Cuidado, você pode estar olhando para o futuro através do retrovisor e jogado muito dinheiro fora.

* O termo mídia broadcast foi citado por Diego Monteiro e Ricardo Azarite no livro: Monitoramento e métricas de mídias sociais.

Imagem do post retirada de: http://esportes.r7.com/blogs/eduardo-marini

Ficou curioso(a) se sua página no facebook está gerando resultados reais para seu negócio? Clique abaixo e preencha o formulário. Você receberá uma consultoria grátis com um relatório de análise da página da sua empresa no Facebook feito por um consultor da yard. A yard. é uma agência de publicidade em Ponta Grossa.

 

 

Gostou desse artigo? Leia mais sobre marketing digital clicando no link abaixo:

Como utilizar os cinco sentidos do cliente para vender mais

Envolver o cliente no ponto de venda e proporcionar uma experiência de compra completa tem sido cada dia o maior desafio do varejista.  Nem sempre a opção de compra esta baseada nos produtos que necessitamos, ou que estamos dispostos a pagar. Saber explorar os cinco sentidos do consumidor pode fazer com que ele consuma facilmente o produto ofertado, mesmo não precisando. Visão, olfato, tato, paladar e audição são estímulos sensoriais que podem desencadear respostas emocionais poderosas nos clientes. Veja a seguir como os 5 sentidos podem ser utilizados para vender mais através de técnicas de marketing sensorial:

Visão: É normal termos apego a tudo que é visual, por exemplo, uma boa vitrine corresponde a boa parte da atratividade da loja, muitas vezes aquele simples manequim bem apresentado, juntamente com uma boa programação visual (temáticas para datas comemorativas), se torna o melhor vendedor que a loja pode querer. Iluminação, espaço e cores também são importantes para criar um ambiente agradável, despertam a atenção ou relaxamento, dependendo da intenção.

Olfato: Com um simples aroma, é possível despertar intensas emoções em uma pessoa e remeter a lembranças, uma vez que o olfato é ligado ao sistema límbico do cérebro (a parte referente à memória e as emoções). Um bom aroma, ligado à personalidade da marca faz com que os clientes permaneçam mais tempo no local.

Tato: Imprescindível que os clientes possam tocar nos produtos e experimentá-los. E não apenas isso, mas o tecido nos assentos dos provadores, em almofadas, cortinas, e outros itens, também influenciam na percepção geral do ambiente.

Paladar: Não importa se o seu ramo não for a alimentação, ter disponível na loja um biscoito, um chá e um café, ou até mesmo outros tipos de alimentos, é imprescindíveis para receber o cliente. É comprovado (com exceção dos supermercados), que clientes com fome querem ir embora logo, deixando assim de fazer as compras.

Audição: A música influencia muito no nosso estado de humor, ainda mais quando nos traz boas sensações. Semelhante aos aromas, o som ambiente é uma ferramenta muito eficaz para ter um impacto positivo no humor do cliente.

Para tirar melhor proveito das informações dos cinco sentidos, faça um raio-x da sua empresa e analise as emoções que deseja atingir em seu cliente, assim, fica mais fácil fazer os ajustes para fornecer estímulos sensoriais adequados para ele.

imagem de capa retirada de: deviantart.com

5 formas de oferecer exclusividade para seu cliente

Vamos combinar, quem é que não quer se sentir especial, ter um atendimento diferenciado ou um produto exclusivo? É assim que toca a banda nos dias de hoje. Independente do seu negócio, sempre existe uma maneira de fazer o cliente pensar que é diferente, que o seu serviço ou produto foi desenvolvido especialmente para ele.

Presenciamos diariamente exemplos como: tarifas bancárias personalizadas, planos de celular adequados ao perfil, personal trainers, clubes de compras exclusivos e cartões de crédito sob indicação de amigos. Mas como adequar esta exclusividade a sua realidade? Vou dar algumas dicas que trabalhamos frequentemente e que podem te ajudar.

– Crie grupos: determine algumas características específicas dentro da sua carteira de clientes. Selecione aqueles que se enquadram nas características escolhidas e forme um grupo exclusivo. Este seleto grupo terá vantagens exclusivas e será o seu porta voz para o mercado.

– Promova experiência: ofereça aos seus clientes exclusivos ocasiões diferentes como um jantar diferenciado, um passeio para conhecer um local novo ou até mesmo um ingresso para um determinado filme em cartaz. Aproveite esta oportunidade para incluir o seu produto/serviço de forma discreta no contexto. Seus clientes, com certeza, irão se lembrar desta experiência.

– Presenteie: quem é que não gosta de ser presenteado? Aproveite datas especiais como aniversários, formaturas, casamentos e nascimentos para presentear seus clientes. Não importa o tamanho nem o valor da lembrança, com certeza ele será pego de surpresa. Vale lembrar que existe no mercado diversas ferramentas de CRM – Customer Relationship Mangement (Gerenciador de Relacionamento com Clientes), que podem facilitar a sua vida, como por exemplo não deixar nenhuma data importante do calendário passar em branco.

– Personalize: não importa a quantidade de clientes no seu mailing, a grande maioria quer se sentir especial e diferente. Por que não personalizar? Uma pequena alteração no seu serviço ou produto pode atender o anseio do seu cliente e superar as suas expectativas.

– Escute: permita que seu cliente exclusivo prove em primeira mão o seu novo produto/serviço. Pergunte o que ele achou, aspectos positivos e negativos. Com certeza ele vai gostar de saber que você valoriza a opinião dele.

Gostou? Quer mais alguma sugestão? Vamos marcar de tomar um café e conversar.

imagem retirada de: https://babettetenhaken.com/2015/01/26/in-your-exclusivity-customer-base/

Qual é a importância de criar conteúdo para uma marca?

Dentro do ambiente de marketing, muito se se fala sobre buscar a criação de marcas bem elaboradas em um processo de branding preciso, que as fortaleçam com um conceito único. Também é comum, o foco em fortalecer o posicionamento de uma marca. Porém, tão importante quanto estes dois aspectos, é ter uma marca com conteúdo.

Uma marca com bom conteúdo transmite muito mais credibilidade para seus consumidores, cria autoridade para o seu negócio e facilita também a captação de novos clientes. Criar conteúdo para sua marca e distribuí-lo melhora a forma que seu negócio será visto pelos demais, pois estará cada vez mais transmitindo a imagem de que você é especialista naquilo que faz.

“Mas o que é o tal conteúdo?” Basicamente, tudo que estiver relacionado ao universo em que seu negócio está inserido, mas que, diferente da propaganda, não tenha o objetivo inicial de vender. Isto é, o importante neste processo é focar em gerar informações pertinentes para que as pessoas que estejam interessadas neste assunto enxerguem sua marca como uma referência. Lembre-se de que para criar conteúdo, é importante saber exatamente para que tipo de pessoa você está fazendo isto. Mais do que pensar em seu público-alvo, crie-os baseado em suas buyer personas, tema que esteve presente na coluna anterior.

“Onde vou publicar estes conteúdos?” Isto pode ser feito em diversos meios de comunicação, desde os mais tradicionais como jornal e revista, até os mais recentes – e mais comumente utilizados – meios digitais, como blog e YouTube. Estes veículos digitais facilitaram a transmissão de informações instantâneas, trazendo mais acessibilidade tanto para as marcas, quanto para os consumidores.

“Ok, já criei meu conteúdo e sei onde publicá-lo, e agora, o que eu faço?” Aí está um passo importantíssimo. Tenha em mente que, para publicar seu conteúdo, você deve fazer isto da maneira correta, isto é, monitorando exatamente o tipo de conversão que esse conteúdo irá gerar. O trabalho é de longo prazo, mas provavelmente trará resultados diferentes do que você está acostumado. Além disso, esta estratégia permite que você passe a monitorar o comportamento do seu cliente dentro do seu site, por exemplo, isto significa na prática, muito mais controle sobre como seus consumidores chegam até você. E também te permite calcular o CAC (Custo de aquisição de clientes). Para fazer isto, é necessário utilizar ferramentas específicas que irão elevar seu marketing de conteúdo a outro nível. Mas este tema fica para a próxima coluna.

Uma agência de publicidade, como a yard., pode te orientar e te auxiliar a planejar, produzir, postar e gerenciar seus conteúdos.

imagem de capa retirada de craigbailey.net

Buyer personas: O que são e como criar as da sua empresa

Você, provavelmente, já deve saber o que é “público-alvo”. Até mesmo porque este termo é um tanto autoexplicativo. Público-alvo é o grupo de pessoas com características semelhantes que a sua empresa deseja atingir e destinar seus serviços e / ou produtos. Mas conhecer o público-alvo da sua marca pode não ser o suficiente. Caminhamos a passos largos para um cenário em que quanto mais informações detalhadas obtivermos, mais assertivos seremos em nossas ações. E não está tão difícil assim de obtermos tais informações, afinal, a tecnologia está, cada vez mais, facilitando os métodos de pesquisa.

Mas então quer dizer que o público-alvo não é importante? De forma alguma! O que você precisa fazer é aprimorá-lo. É aí que entra o processo de criação das buyer personas, ou simplesmente personas. Inserir isto na sua estratégia de marketing fará com que você entenda melhor seus clientes, segmente mais precisamente o seu público e assim, aprimore suas ações de marketing.

Saber quem são suas personas é essencial para sua estratégia de marketing

Conheça seu cliente. Imagem: bankersumbrella.com

Mas o que são as personas? Uma espécie de perfil individual dentro do seu público-alvo. Basicamente, um personagem criado por você. Neste personagem, você irá listar descrições precisas e pertinentes sobre a vida, preferências, sonhos, características, enfim, tudo o que poderá afetar o relacionamento da persona com a sua marca deverá ser levado em consideração. Lembre-se: ela deve ser real como uma pessoa de verdade.

Depois de criar a sua persona, você irá perceber que a estruturação do seu planejamento e suas estratégias de marketing serão muito mais eficazes e te darão menos dores de cabeça. Ah, importante lembrar: dificilmente existirá apenas uma persona para uma marca, afinal, estamos falando de um perfil característico de cliente. E seus clientes não são exatamente iguais uns aos outros, né? Então não se assuste ao perceber que você terá de criar 3, 5, ou até 10 personas diferentes. Se todas elas estiverem coerentes, você estará no caminho e poderá partir para os próximos passos, como a jornada de compra e a criação de conteúdo.

Pronto para criar suas personas? Aqui está uma ferramenta grátis que vai ajudar você a dar o primeiro passo e criar as suas de forma simplificada, clique abaixo e acesse o gerador de personas.

gerador de personas yard agência de publicidade

imagem de capa retirada de megacurioso.com.br