Como era a publicidade na internet há 7 anos atrás?

A publicidade na internet há 10 anos atrás

Escrevi esse texto para uma coluna que eu fazia na televisão, em 2010, com o tema: Marketing Digital. Resolvi compartilhar aqui hoje, porque o tema e o que se discutia na época era muito promissor. Quando comparado ao presente, posso dizer que a previsão estava mais do que correta. Leia e reflita, eu comentarei logo abaixo.

“Hoje vou falar um pouco sobre marketing digital. Há algum tempo temos escutado que a internet é uma tendência do futuro, que as empresas precisam abrir os olhos hoje para o amanha que é o mundo inteiro novo que se revela através da grande rede. Só que esse discurso já perdeu validade, e muito gente não foi avisada. A internet não é o futuro, ela já é o presente e a cada ano, a cada mês, a cada dia, o número de internautas cresce. Estima-se que o número de consumidores online, isto é pessoas que compram pela internet, cresce 30% por ano. E então? O que podemos pensar sobre esse assunto? Como um dos principais conceitos de marketing é compreender as necessidades dos clientes, como funciona o consumo pela internet? Será que o consumidor online é uma pessoa diferente do consumidor tradicional? O consumidor online é a mesma pessoa, mas quando ele entra na internet, ele passa a ter outros comportamentos. A principal diferença e que ele ganha mais poder. Ele tem o grande poder de apertar o boato de fechar, assim que o conteúdo que sua empresa tem para oferece-lo não for atraente o suficiente. Claudio Torres tem uma grande frase sobre isso: a internet deixou de ser uma grande rede de corporações ponto com e passou a ser uma grande rede de pessoas. Isto significa basicamente que agora, quem cria, publica e opina sobre o conteúdo online não são as empresas, e sim as pessoas. Mais uma vez conseguimos concluir que no marketing, o mais importante, e o cliente.” 

como era o facebook antigamente

Este é o layout do Facebook em 2010. Não tinha nem bate-papo! Imagen: Olhar Digital

Sabe o que mudou? Apenas o ano. Empresas ainda continuam não investindo sua verba da maneira correta, continuam ignorando a internet e perdendo muito dinheiro com isso. A máxima de criação de conteúdo e do marketing de conteúdo já era extremamente valiosa, atualmente, ela é mais poderosa ainda e não apenas pode ajudar, como já está ajudando empresas de todos os segmentos e todos os tamanhos, sejam aquelas que vendem ou não pela internet. Agora pare e reflita, onde sua empresa vai estar daqui a 7 anos? Ela está preparada para se adaptar ao avanço da internet?

Clique aqui e saiba se você está usando o Facebook da maneira correta. Faremos um diagnóstico completamente GRÁTIS.

análise de marketing digital

 

Imagem de capa: Wallpapervortex

Checklist: 4 itens básicos para avaliar como está o conforto do seu restaurante

conforto no restaurante yard arquitetura comercial

Uma das principais tendências de mercado para esse setor é a oferta de experiências diferenciadas para os consumidores, independente de quem é o seu público-alvo. Oferecer algo além do tradicional e clichê: “comida boa e bom atendimento”. Isto, há muito tempo já é trabalhado nas grandes redes americanas que desembarcaram no Brasil nos últimos anos, como Outback e Abraccio. Um dos itens que mais se destacam e iniciam o processo de entrega dessa experiência diferenciada é a arquitetura comercial. O espaço do restaurante deve ser planejado para acomodar e envolver o cliente em uma experiência completa, de modo que ele se sinta o mais confortável possível, visual, térmica e acusticamente. O sucesso em restaurantes depende de muitos fatores além de um cardápio bonito e alimentos de boa qualidade.

1 – Pisos de tonalidades claras

Em ambientes ligados a alimentação a limpeza deve ser redobrada, uma vez que o fluxo intenso de pessoas deixa o chão marcado e sujo. A utilização de cores muito claras pode prejudicar a imagem do estabelecimento, mesmo que haja um processo de limpeza feito diariamente e passe a sensação de segurança na maior parte das vezes. Para estas situações escolha outras tonalidades ou acabamentos para o piso.

2 – Mobiliário mal dimensionado

Nem todos os estabelecimentos possuem uma grande área de loja, normalmente é necessário se adequar para acomodar clientes, produtos e serviços. Mesmo assim, existem locais que possuem mobiliário muito grande em relação ao metro quadrado disponível, gerando sensação de desconforto e enclausuramento ao cliente. Antes de qualquer definição quanto aos móveis, é indispensável ter uma noção clara das dimensões dos itens frente ao tamanho do espaço disponível.

3 – Produtos escondido:

Não adianta ter um belo projeto de interiores se os produtos ficam escondidos do cliente. Evite também deixar gôndolas, geladeiras e prateleiras expostas com mais produtos do que o necessário, pois isso não é agradável e pode até causar confusão no cliente, pelo excesso de informação.

4 – Iluminação insuficiente

Uma boa iluminação transforma qualquer ambiente. É possível criar diferentes ambientações através da direção e da tonalidade da luz. Isso tem de ser aproveitado para valorizar os produtos e a experiência oferecida.

yard arquitetura comercial

Uma boa iluminação pode transformar a “cara” do seu restaurante. Imagem: North Audley Cantine

O ambiente precisa ser convidativo em todos os sentidos, tanto para aqueles que só estão de passagem, quanto para as pessoas que pretendem permanecer mais tempo no local. Ter uma identidade de marca estampada no projeto arquitetônico como um todo, desde a fachada até a entrega dos pratos, é um grande diferencial para um negócio nesse ramo, você pode e deve procurar ajuda para projetos como esse com profissionais de Marketing e Arquitetura Comercial.

Leia outras dicas de arquitetura comercial clicando aqui.

3 passos que aumentam as vendas de qualquer empresa de serviços

Aumentar as vendas de serviços

Você vende serviços e quer aumentar as vendas da sua empresa? Aqui estão 3 dicas essenciais.

1 – Alinhe sua expectativa

Sempre comento com os clientes da agência sobre a importância do alinhamento de expectativa quando se planeja e executa uma ação de divulgação. Não se pode exigir de um veículo ou de uma peça publicitária algo que ele não pode fornecer. Cada veículo tem o seu papel dentro uma campanha e cada peça vai cumprir a entrega de uma mensagem. Em raras situações você pode esperar uma “chuva de ligações” na sua empresa, após uma campanha. Mas no geral, uma estratégia publicitária eficiente se faz de forma contínua com investimento constante e com uma mensagem clara bem definida, que é inclusive o próximo tópico.

2 – Tenha uma mensagem clara bem definida

A última parte de qualquer briefing deve ser a ‘mensagem clara bem definida’. Resuma em uma frase curta o que sua campanha ou sua ação de divulgação deve dizer. Você quer mudar algum conceito existente no seu mercado? Você quer mudar a maneira como as pessoas contratam o seu serviço? Você quer apenas dizer que você faz algo que ninguém sabe que você faz? Tenha isso claro para você e deixo isso claro para sua agência ou sua equipe de marketing, antes de fazer qualquer ação. Com isso bem definido, elabore o funil de vendas do seu produto e do seu cliente-alvo.

3 – Funil de vendas

Antes da compra de um serviço, o consumidor normalmente passa por três estágios, nós chamamos este trajeto de “funil de vendas”.

O primeiro estágio, que chamamos de topo de funil, a pessoa ainda não sabe que precisa daquele serviço, ela ainda não se deu conta ou não tem conhecimento suficiente para buscar mais informações. Imagine a seguinte situação, por que alguém vai contratar um software de gestão, se não faz gestão?

O segundo momento do funil de vendas ocorre quando a pessoa já se deu conta de que precisa de um determinado serviço, mas ainda não decidiu qual opção vai adotar para “resolver o seu problema”. Lembre-se, sua empresa só existe para resolver algum problema. No exemplo do software de gestão, você pode resolver o problema com uma planilha do Excel, um software genérico, um software específico ou até mesmo desenvolver um software próprio. São diferentes maneiras de resolver o mesmo problema que é: gestão.

O terceiro momento do funil é onde a maioria das empresas concentra 100% dos seus esforços de marketing. O cliente já se deu conta de que precisa do serviço, já viu as opções disponíveis para resolver o seu problema e já sabe qual o melhor caminho a seguir e agora está buscando ativamente nesse caminho, qual a melhor alternativa. Aqui entra toda mídia tradicional, que deve ser planejada e executada conforme mencionei nos primeiros parágrafos.

A grande questão é: que ações você está fazendo para gerar clientes para seu negócio no primeiro e no segundo momento do funil de vendas? É aí que está o grande pulo do gato, você vai sair muito na frente se fizer ações que despertem a atenção dos potenciais clientes quando eles ainda não se deram conta de que precisam do serviço que sua empresa vende.

A sua empresa tem valor? Você sabe como criá-lo? Leia este post entenda como uma empresa de serviços cria valor.

Como atrair visitantes para o seu site

Como aumentar visitas do site yard. agencia de publicidade em Ponta Grossa

O que há de mais primordial para o site de uma empresa gerar vendas? Isso mesmo, ter visitas! E quando digo sobre “gerar vendas”, não significa que o site deve ser um e-commerce ou algo do tipo. Ter um site é importantíssimo e imprescindível para qualquer empresa que quer ter presença online. Com toda a certeza isto irá gerar mais vendas, mesmo que seja de forma indireta. Pois atrair visitantes para o seu site é a primeira etapa da metodologia de Inbound Marketing, ferramenta focada educação, venda e relacionamento com o cliente. Para entender melhor esta lógica, sugiro que leia este post falando sobre Inbound Marketing e verá que tudo isso faz muito sentido.

Mas vamos lá, nosso objetivo aqui é atrair visitantes para o site da empresa, para posteriormente convertê-los em leads e, finalmente, clientes. Um ciclo perfeito! “Mas como atrair visitantes para o meu site?” Apresento algumas ferramentas indispensáveis:

Blog

Tenha um blog em seu site, ele é essencial! Mas vá além, publique em seu blog conteúdos de qualidade, seja interessante para os seus visitantes. Você não vai falar diretamente sobre os seus produtos, pois seus visitantes não estão interessados na sua empresa. Talvez isto seja chocante, mas o seus visitantes querem solucionar os problemas deles, não os seus. Um blog é uma ótima forma de atrair e relacionar com seu público. Com ele, você é melhora a vida das pessoas, ajudando-as em seus problemas e ainda se torna autoridade no assunto, afinal, se você está falando é porque entende.

Como atrair visitantes para o meu site - yard agência de publicidade em Ponta Grossa

O WordPress é uma ótima ferramenta para estruturar seu blog. Fonte: theme-fusion

Clique aqui e entenda melhor como funciona um blog para atrair visitas para o seu site.

SEO (Search Engine Optimization)

Já imaginou seu site aparecendo nos primeiros resultados do Google quando algo relacionado ao seu segmento é buscado? É para isto que existe o SEO, um conjunto de ferramentas e estratégias baseadas nos motores de busca e critérios de ranqueamento do Google para levar um site até o topo dos resultados do buscador.

 

Links patrocinados

Muita gente “entendida” do assunto acha que uma estratégia de Inbound não deve envolver anúncios pagos, mas este é um grande erro. Os patrocinados podem e devem ser feitos, desde que sejam pensados de forma estratégica e é muito útil quando uma marca precisa construir uma audiência de maneira mais rápida. Não há problema nenhum em investir uma verba para divulgar seus conteúdos, desde que você faça corretamente.

 

Redes sociais

Ainda em 2015 já haviam 2 bilhões de pessoas acessando redes sociais. Muita gente está usando e sua empresa também deve usar, se ainda não faz isso. Seja Facebook, Instagram, Snapchat, etc., o importante de início é escolher muito bem, não escolha várias de uma vez só. Saiba onde seu público está concentrado e faça o melhor trabalho possível nesta rede, para depois partir para a próxima. Clique aqui e entenda por que o Facebook é tão essencial para a sua empresa. 

 

Este post foi foi criado com o objetivo de detalhar melhor as etapas do Inbound Marketing para quem está buscando se aprofundar no tema. Caso você ainda não saiba o que é Inbound, sugiro ler o post: Inbound Marketing – O que é e por que você já deveria estar fazendo.

Imagem de capa: laprensa.hn

6 dicas simples de como reparar seu imóvel para locar ou vender

Dicas simples de como reparar seu imóvel para locar ou vender

Um imóvel recém reparado e em bom estado de conservação significa ter um aluguel competitivo e a garantia de que seu imóvel não ficará vazio por muito tempo. Quando nos referimos a “preparar o imóvel” não significa gastar horrores em reformas, pelo contrário, para vender um imóvel, faça reparos, não faça reformas grandes. Reparos são mais baratos, e deixarão seu imóvel mais perto da qualidade considerada ideal pelo consumidor. São os pequenos detalhes que impactarão a percepção do comprador.

Confira algumas dicas:

  • Para vender, deixe o imóvel, de preferência, vazio. No caso do aluguel, o apartamento semi mobiliado é muito atrativo para pessoas que pretendem permanecer um tempo menor na cidade e não querem se preocupar com o transporte ou a compra dos móveis. Cozinha semi mobiliada e um guarda roupa no quarto são itens importantes, porém, sempre dê preferência para móveis em bom estado. Remova todo e qualquer mobiliário que possua cupim ou mofo.
  • Reparos importantes: conserto de vazamentos, rachaduras e furos nas paredes ou forros. Paredes mofadas também precisam ser tratadas. Opte por cores neutras como bege, gelo ou branco nas paredes e no teto, pois elas dão a sensação de limpeza e amplitude nos ambientes.
  • Parte elétrica: Criar novos pontos de tomada em imóveis mais antigos é um ponto chave. Troque todas as capas dos pontos e de interruptores, por acabamentos novos, e brancos de preferência, isso dará um ar de renovação incrível no seu imóvel. Coloque luminárias básicas e neutras com design minimalista.
  • Piso: Caso haja carpet, remova-o e coloque um piso neutro como porcelanato ou laminados.
  • Para azulejos antigos nas paredes, existe a possibilidade de reparar eles e colocar por cima porcelanatos novos para dar um novo visual para o ambiente.
  • Limpeza é muito importante. Não é porque o apartamento está desocupado que não precisa ser arejado e limpo frequentemente.

Solicite a um profissional uma avaliação do imóvel, assim como a viabilidade financeira dos reparos e possíveis regularizações do imóvel. Nem todo imóvel é um bom candidato para uma reforma. Não adianta fazer muito reparos se o preço do seu imóvel vai ultrapassar o valor médio dos demais imóveis de metragem parecida.