Como vender produtos intangíveis (serviços)

Vender produtos intangíveis não é tão simples assim, pois um serviço é extremamente variável, não existe estoque e o consumo é feito no mesmo momento de “fabricação”. Essas são algumas características que tornam mais difíceis a precificação, a divulgação e a venda desse tipo de produto. Mas é possível usar técnicas para fortalecê-los! Entenda como fazer isso.

 

O que é produto tangível e produto intangível?

Quando compramos uma camisa, sabemos exatamente suas características: como vai ficar no corpo (ao provarmos), se as cores agradam, o tipo de tecido que ela tem e qual a sensação de colocá-la no corpo. Esse é um tipo de produto chamado de produto tangível. Produtos tangíveis são todos os que podem ser tocados, são aqueles que podemos pegar, experimentar, cheirar, sentir seu formato e seu gosto, etc. Eles podem ser colocados como destaque em uma vitrine, por exemplo.

Porém, quando se trata de produtos intangíveis é o oposto, são aqueles que não podemos fazer tudo isso. Normalmente são serviços, como advocacias, consultorias, consultas médicas, estéticas, entre outros. A qualidade de um serviço só pode ser comparada ao adquiri-lo, mas não podemos experimentar antes de comprar, diferente de um produto, que é possível avaliar um pouco da sua qualidade através do visão e do tato, por exemplo.

 

Então, como tangibilizar e vender mais produtos intangíveis?

Você pode começar agregando valor à eles. Promover estímulos é uma maneira de tangibilizar o seu serviço. Os serviços são vendidos como uma experiência, um momento, então o cliente precisa estar convicto em comprar o que lhe é oferecido sem poder de fato saber como é. Mas é possível fazer com que ele “tenha um gostinho” do seu serviço, dependendo do segmento, você pode oferecer uma consultoria prévia grátis, por exemplo, para o consumidor entender melhor o potencial do seu trabalho.

 

3 passos que aumentam as vendas de qualquer empresa de serviços.

 

Algumas dicas para você aplicar no seu negócio:

Localização e ambiente: o seu negócio está em uma área estratégica? O local sede da sua empresa é de extrema importância para determinados ramos de atuação. Por exemplo, se você tem uma padaria (produto tangível), ela precisa estar bem localizada, de fácil acesso ao consumidor e fácil visualização, com o ambiente interno é organizado e limpo.

Da mesma forma acontece com um escritório que vende serviço (intangível): A ambientação deve proporcionar sensações agradáveis, tudo isso tem que ser bem analisado e mostrado para o reconhecimento da empresa. Móveis confortáveis, temperatura agradável, incensos, aromatizantes ou flores são estímulos que proporciona bem-estar uma experiência diferenciada.

Já a localização acaba não sendo tão crucial quanto para empresas que vendem produtos, mas mesmo assim é importante montar o escritório em um bairro seguro, com rua asfaltada e vagas para estacionamento, por exemplo.

Localizacao para vender produtos intangiveis

A localização da empresa é um dos influenciadores para vender produtos intangíveis

5 dicas para escolher o ponto de sua empresa

Funcionários: é importante que os funcionários sejam “a cara” da empresa. Eles precisam transmitir a proposta que a empresa quer passar. É interessante que os funcionários trabalhem com uniforme para os clientes identificarem os vendedores facilmente, como as lojas de departamentos fazem, por exemplo. Além de criar um padrão de abordagem e atendimento.

Quando você compra um celular, os outros clientes devem passar pela mesma experiência positiva que você passou com um vendedor de determinada loja (assim esperamos que seja). Da mesma forma acontece com um atendimento padronizado que tangibiliza o serviço, onde há um processo claro, cada cliente tem o mesmo atendimento e diminui o risco de insatisfação.

Nem precisa falar que atender de forma diferenciada um cliente A e um B não é nada agradável, e nem que em todos os casos deve ser feito com alta qualidade, correto?

 

Equipamentos: equipamentos de qualidade usados na empresa se tornam muito atrativo para os clientes. Um exemplo disso é um salão de beleza, que usa produtos de boa qualidade e tem equipamentos profissionais, que consequentemente tem um valor agregado bem maior do que um salão que usa produtos populares e equipamentos de segunda mão. Não seria nada interessante se uma cliente do salão de beleza fizesse uma reclamação de que o mesmo produto usado no salão é o mais barato que ela pode encontrar em uma farmácia, por exemplo.

 

Identidade visual: a identidade da empresa é de extrema importância, na maioria dos casos ela é a porta de entrada para o cliente. Por exemplo são as empresas do segmento infantil, que precisam usar cores alegres e símbolos de entendimento fácil para os pequenos, trazendo uma compreensão maior do que se trata o produto. Ou usar cores sólidas e traços expressivos para uma advocacia, por exemplo, para demonstrar credibilidade.

Além disso, sua marca deve ser retratada com as características importantes que a empresa quer passar, como por exemplo: elegância, felicidade, simplicidade, etc. Os materiais de escritório impressos com papel e textura de qualidade também agregam um valor maior na percepção do cliente.

 

Preço: para tangibilizar o serviço através do preço, é preciso mostrar para o cliente muito além do que só aquilo que ele está comprando, fazer abordagens chamativas e persuadir de forma que pareça ser uma oportunidade única e imperdível, ou fazendo com que a sensação de confiança que o cliente sente com seu serviço, não vai encontrar em nenhum outro lugar.

Uma abordagem clássica é a “satisfação garantida ou seu dinheiro de volta”. Ou seja, a empresa está garantindo a qualidade do serviço a ser contratado, dizendo que está disposta a não cobrar caso o cliente não goste.

Como uma empresa de serviços cria valor?

 

Vender um serviço requer tanto cuidado quanto para vender um produto, pois é preciso convencer que os melhores momentos da vida do cliente serão impulsionados pelo fato de ele contratar seus serviços,  ou que os problemas dele só irão acabar com a ajuda da sua empresa. Busque ressaltar dentro da sua empresa, os principais diferenciais que possam ajudar a fortalecer as vendas do seu serviços, fazendo com que seus clientes enxerguem mais valor na compra.

 

Já sabe como melhorar a percepção do seu negocio vender produtos intangíveis? Quer tal reavaliar suas estratégias? Leia este artigo que te ajudará a revolucionar as suas estratégias de marketing.

Landing page: O que é e como fazer

Landing page é uma página de um site (ou hotsite), que tem como objetivo de capturar informações dos visitantes através de um formulário, em troca de uma oferta de conteúdo.

Vivemos há alguns anos uma era em que o marketing de conteúdo está presente na grande maioria das estratégias de marketing de pequenas e grandes empresas. Em muitos segmentos, é praticamente impossível encontrar marcas que trabalham marketing digital sem ter alguma estratégia de conteúdo (por mais simples que seja).

Com a evolução da produção de conteúdo por parte das empresas e com o surgimento da metodologia do inbound marketing, percebemos que apenas atrair consumidores utilizando conteúdos interessantes é apenas uma etapa do processo. Claro que, essa prática é essencial para muitos segmentos que querem apostar no marketing digital e é assim que fazemos com os nossos clientes e com a própria agência. Inclusive, a atração de visitantes por meio do conteúdo está sendo feita através deste artigo.

Uma empresa pode atrair diversos potenciais consumidores através de uma boa estratégia, que engloba a definição de personas, planejamento de conteúdo, otimização de seus artigos de blog para ranquear no Google, etc.

Mas é, de certa forma simplista imaginar que apenas isso seja suficiente para render vários clientes e resultar em vendas. Mas é preciso ir além.

 

Para que serve uma landing page?

A lógica de criar conteúdo de qualidade para atrair visitantes em um site está 100% correta, mas o problema é que, depois de atrair as visitas, é preciso “dar um empurrãozinho” para que parte deles venha a se tornar um consumidor do produto ou serviço.

O que fazer se várias pessoas leem o blog mas nenhuma delas deixa nenhum tipo de informação no (quase defasado) formulário de contato? Esse é o momento em que é preciso usar as landing pages para converter os visitantes.

“Conversão” é um termo comum no marketing digital, que significa transformar visitantes em leads. “Lead” é um termo tão comum quanto, que significa visitantes que deixaram uma pista (ou lead, em inglês), informando que estão interessados conteúdo que está sendo ofertado e estão também possivelmente interessados no produto ou serviço, algumas vezes sem saber disso, tudo depende de da posição da persona dentro da jornada de compra (momento em que o visitante se encontra em relação à compra de determinado produto).

As landing pages, ou páginas de captura, são uma espécie de hotsite, com basicamente uma única função: oferecer um conteúdo criado pela empresa para o visitante do site converter. Em troca do acesso daquele determinado conteúdo, o visitante registra seus dados para acessá-lo. Gerando assim uma conversão e se transformando em um lead.

Exemplo de estrutura de landing page

Exemplo de estrutura de uma landing page ofertando um conteúdo sobre as principais ferramentas de marketing digital.

Como funciona uma landing page?

Uma landing page é estruturada por:

– Um cabeçalho;

– Imagens / textos informando qual conteúdo está sendo oferecido;

– Um formulário com perguntas personalizáveis (as imprescindíveis são “nome” e “email”)

A lógica dela é extremamente simples. Você oferta um conteúdo, que é liberado para o usuário logo após ele preencher os dados no formulário.

 

Onde criar uma landing page?

Para criar as landing pages, existem diversas ferramentas. Pode ser de forma grátis no Google Forms, ou em uma ferramenta paga avançada. Nós utilizamos o RD Station, um software de marketing que, dentre outras funções, faz a criação de landing pages. Uma alternativa viável e fácil de usar é o Facebook Leads, que cria landing pages na própria rede social, a partir do gerenciador de anúncios do Facebook.

Todas as landing pages são criadas com o RD Station, mas são apenas uma das funções do sistema. Acesse este artigo sobre a ferramenta e descubra todo o seu potencial

Landing page no Facebook Leads

Exemplo de landing page usando o Facebook Leads. Imagem: Facebook

Fazendo boas landing pages

O mais importante nas landing pages, é deixá-las visualmente agradáveis (de preferência com a cara da sua marca e de seu site), não criar formulários muito longos para a grande maioria dos conteúdos, salvo exceções, e o principal: oferecer um conteúdo muito bom. Seu conteúdo ofertado deve ser tão bom que o usuário vai querer deixar seus dados em troca do acesso à ele.

Tudo gira em torno de bons conteúdos, capriche neles primeiro, para depois ofertá-los em landing pages e assim gerar mais leads e vendas para a sua empresa.

Depois da conversão, surgem os processos de relacionamento do inbound marketing, que pode ser feito através de uma automação de marketing, ou disparos de email marketing, por exemplo. Em breve, teremos um artigo específico falando sobre isso.

 

Entendeu o que são as landing pages? Agora chegou o momento de saber qual conteúdo criar e qual ferramenta utilizar. Você pode marcar uma conversa com um consultor yard. e vamos te ajudar. Clique aqui e converse com um especialista (e de quebra dá uma olhada na nossa landing page).

Quero falar com um consultor