Landing page: O que é e como fazer

Landing page é uma página de um site (ou hotsite), que tem como objetivo de capturar informações dos visitantes através de um formulário, em troca de uma oferta de conteúdo.

Vivemos há alguns anos uma era em que o marketing de conteúdo está presente na grande maioria das estratégias de marketing de pequenas e grandes empresas. Em muitos segmentos, é praticamente impossível encontrar marcas que trabalham marketing digital sem ter alguma estratégia de conteúdo (por mais simples que seja).

Com a evolução da produção de conteúdo por parte das empresas e com o surgimento da metodologia do inbound marketing, percebemos que apenas atrair consumidores utilizando conteúdos interessantes é apenas uma etapa do processo. Claro que, essa prática é essencial para muitos segmentos que querem apostar no marketing digital e é assim que fazemos com os nossos clientes e com a própria agência. Inclusive, a atração de visitantes por meio do conteúdo está sendo feita através deste artigo.

Uma empresa pode atrair diversos potenciais consumidores através de uma boa estratégia, que engloba a definição de personas, planejamento de conteúdo, otimização de seus artigos de blog para ranquear no Google, etc.

Mas é, de certa forma simplista imaginar que apenas isso seja suficiente para render vários clientes e resultar em vendas. Mas é preciso ir além.

 

Para que serve uma landing page?

A lógica de criar conteúdo de qualidade para atrair visitantes em um site está 100% correta, mas o problema é que, depois de atrair as visitas, é preciso “dar um empurrãozinho” para que parte deles venha a se tornar um consumidor do produto ou serviço.

O que fazer se várias pessoas leem o blog mas nenhuma delas deixa nenhum tipo de informação no (quase defasado) formulário de contato? Esse é o momento em que é preciso usar as landing pages para converter os visitantes.

“Conversão” é um termo comum no marketing digital, que significa transformar visitantes em leads. “Lead” é um termo tão comum quanto, que significa visitantes que deixaram uma pista (ou lead, em inglês), informando que estão interessados conteúdo que está sendo ofertado e estão também possivelmente interessados no produto ou serviço, algumas vezes sem saber disso, tudo depende de da posição da persona dentro da jornada de compra (momento em que o visitante se encontra em relação à compra de determinado produto).

As landing pages, ou páginas de captura, são uma espécie de hotsite, com basicamente uma única função: oferecer um conteúdo criado pela empresa para o visitante do site converter. Em troca do acesso daquele determinado conteúdo, o visitante registra seus dados para acessá-lo. Gerando assim uma conversão e se transformando em um lead.

Exemplo de estrutura de landing page

Exemplo de estrutura de uma landing page ofertando um conteúdo sobre as principais ferramentas de marketing digital.

Como funciona uma landing page?

Uma landing page é estruturada por:

– Um cabeçalho;

– Imagens / textos informando qual conteúdo está sendo oferecido;

– Um formulário com perguntas personalizáveis (as imprescindíveis são “nome” e “email”)

A lógica dela é extremamente simples. Você oferta um conteúdo, que é liberado para o usuário logo após ele preencher os dados no formulário.

 

Onde criar uma landing page?

Para criar as landing pages, existem diversas ferramentas. Pode ser de forma grátis no Google Forms, ou em uma ferramenta paga avançada. Nós utilizamos o RD Station, um software de marketing que, dentre outras funções, faz a criação de landing pages. Uma alternativa viável e fácil de usar é o Facebook Leads, que cria landing pages na própria rede social, a partir do gerenciador de anúncios do Facebook.

Todas as landing pages são criadas com o RD Station, mas são apenas uma das funções do sistema. Acesse este artigo sobre a ferramenta e descubra todo o seu potencial

Landing page no Facebook Leads

Exemplo de landing page usando o Facebook Leads. Imagem: Facebook

Fazendo boas landing pages

O mais importante nas landing pages, é deixá-las visualmente agradáveis (de preferência com a cara da sua marca e de seu site), não criar formulários muito longos para a grande maioria dos conteúdos, salvo exceções, e o principal: oferecer um conteúdo muito bom. Seu conteúdo ofertado deve ser tão bom que o usuário vai querer deixar seus dados em troca do acesso à ele.

Tudo gira em torno de bons conteúdos, capriche neles primeiro, para depois ofertá-los em landing pages e assim gerar mais leads e vendas para a sua empresa.

Depois da conversão, surgem os processos de relacionamento do inbound marketing, que pode ser feito através de uma automação de marketing, ou disparos de email marketing, por exemplo. Em breve, teremos um artigo específico falando sobre isso.

 

Entendeu o que são as landing pages? Agora chegou o momento de saber qual conteúdo criar e qual ferramenta utilizar. Você pode marcar uma conversa com um consultor yard. e vamos te ajudar. Clique aqui e converse com um especialista (e de quebra dá uma olhada na nossa landing page).

Quero falar com um consultor

WhatsApp para empresas: Como baixar e usar no seu negócio

WhatsApp para empresas - Como baixar, usar e vender mais com a ferramenta

O WhatsApp para empresas finalmente foi lançado. Anunciado no final de 2017, o WhatsApp Business é a grande novidade da marca (que é administrada por nada mais nada menos que o Facebook), surgindo com a promessa de trazer as mesmas funcionalidades do já consagrado mensageiro instantâneo, mas agora com funções extras para fins comerciais. Mas será que o WhatsApp para empresas vale a pena para o seu negócio? Eu fiz alguns testes e reuni neste artigo as principais considerações, a conclusão é você quem tira!

 

Como baixar o WhatsApp para empresas?

Essa é a parte mais fácil! Para fazer o download do WhatsApp Business, basta acessar a página oficial do aplicativo neste link. Imagino que em breve será possível escolher a plataforma mobile (Android, iPhone ou Windows Phone) e a plataforma para computadores (Mac ou Windows 8 ou superior).

Entretanto, até o momento, o aplicativo pode ser baixado apenas em aparelhos Android, no site oficial ou diretamente na PlayStore.

 

Funções especiais do WhatsApp para empresas

Se você já usa o aplicativo em sua versão tradicional, é importante conhecer a diferença entre as versão pessoal e a versão comercial. As principais novidades do WhatsApp Business são:

1 – Exibição de perfil comercial

A exibição de perfil no WhatsApp para empresas é diferenciada: nela, é possível reunir informações comerciais sobre a empresa para facilitar a vida do consumidor: Endereço, horário de atendimento, email de contato e site são algumas das informações que podem ser preenchidas.

WhatsApp para empresas - Perfil comercial

Exibição de perfil no WhatsApp para empresas.

2 – Comando de respostas rápidas

Para poupar o tempo de escrever a mesma resposta para explicar para um cliente sobre o funcionamento de um produto, o Business trouxe uma função especial: um comando para envio de respostas rápidas pré-registradas.

Funciona da seguinte forma: Você registra um comando “/comando” e designa uma mensagem especial para ele “mensagem”. Depois disso, basta acionar o comando que a mensagem toda será enviada. Por exemplo:

Comando: “/serviços”

Mensagem: “Nós prestamos serviços de criação de campanhas publicitárias, criação de marcas, assessoria de marketing digital, inbound marketing e arquitetura comercial.”

3 – Respostas automáticas de boas-vindas e de ausência

Outra função interessante, é a de definir mensagens automatizadas de boas-vindas, que são enviadas automaticamente no primeiro contato do usuário, além de mensagens de ausência, para períodos em que não haja nenhum responsável disponível para responder as mensagens no aplicativo, como no período noturno, por exemplo.

4 – Estatísticas de envio de mensagens

Acesse o número de mensagens enviadas, entregues, lidas e recebidas. Essa função se torna interessante quando se trata de um grande volume de mensagens, funcionando de maneira semelhante (e mais simplória) a de estatísticas de disparos de email marketing.

WhatsApp para empresas - Estatísticas e métricas

O WhatsApp para empresas permite analisar o índice de mensagens entregues com sucesso. Imagem: WhatsApp.

5 – Listas de transmissão

Essa não é bem uma novidade, afinal, já está presente na versão tradicional do aplicativo. Mas de qualquer maneira, vale destacar a importância (por muitos desconhecida) da lista de transmissão do WhatsApp.

WhatsApp para empresas - Listas de transmissao

Criar uma listra de transmissão é uma excelente forma de utilizar o WhatsApp para vendas. Imagem: TechTudo

Desconhecida por muitos (usuários comuns e também empresas), as listas servem como uma espécie de email marketing simplificado: você cria uma mensagem específica e faz um disparo para todos os contatos pré-selecionados, isso faz com que você economize tempo para se comunicar com sua audiência, afinal, não será necessário mandar mensagens individuais para cada contato.

 

Primeiros passos para usar o WhatsApp para empresas

Para começar a usar o WhatsApp Business na sua empresa, você irá precisar de um número de telefone que não tenha uma conta vinculada ao WhatsApp tradicional, ou seja, você terá que migrar uma conta do WhatsApp tradicional para o Business, ou utilizar um número novo.

Depois disso, basta fazer a confirmação do número via SMS ou ligação e pronto, seu WhatsApp empresarial está ativo. Agora, chegou a hora de configurá-lo, veja um passo-a-passo:

  • Preencha o nome da sua empresa. Atenção: Escreva com cuidado e revise, uma vez escolhido o nome, ele não poderá ser modificado, a menos que você exclua a conta e comece tudo de novo.
  • Selecione uma foto de perfil, de preferência a logo da sua empresa ou uma foto que “simula” um atendente virtual da marca.
  • Configure as informações da sua empresa, acessando o menu de configurações e preenchendo informações pertinentes ao seu negócio, veja o exemplo abaixo.
WhatsApp para empresas - Editar informacoes

O WhatsApp para empresas permite que você descreva informações pertinentes ao seu negócio para criar um perfil comercial.

  • Crie uma mensagem de saudação se achar necessário, para que toda nova pessoa que entre em contato com o WhatsApp da sua empresa receba a saudação automaticamente.
WhatsApp para empresas - Editar mensagem de saudacao

Funcionamento da mensagem de saudação no WhatsApp Business.

  • Crie uma mensagem de ausência se também achar necessário, para que pessoas que entrarem em contato coma sua empresa em horários que não há atendimento disponível, elas recebam a mensagem de ausência automática.
WhatsApp para empresas - Editar mensagem de ausencia

Configuração da mensagem de ausência no WhatsApp Business.

  • Crie seus comandos personalizados. Essa função é bem bacana para criar um acervo para dúvidas frequentes, onde basta ativar o atalho e a resposta pré-formatada é enviada automaticamente.
WhatsApp para empresas - Resposta rápida

O WhatsApp para empresas permite a configuração de atalhos de mensagens.

Usar o WhatsApp na minha empresa vale a pena?

Essa pode ser uma das suas dúvidas, caso você não use o aplicativo na sua empresa ainda, mas tenha sido impactado pelo lançamento da versão Business.

Em muitos segmentos, o WhatsApp pode ser extremamente útil, principalmente se a sua empresa quer estar próxima ao consumidor, seja para venda direta, resolução de dúvidas, negociações e relacionamento.

Como aumentar as vendas utilizando o WhatsApp?

1 – Use e abuse do relacionamento! 

O WhatsApp é uma ótima ferramenta de relacionamento com os clientes, nunca antes foi possível estar tão próximo do seu consumidor e fazer ele se sentir próximo também.

Seja para resolução de dúvidas, pedidos, encomendas, auxílio, suporte, encare o aplicativo como um substituto do SAC.

Se você conseguir trabalhar bem o relacionamento, colherá ótimos frutos, como por exemplo conseguir indicações de clientes e prospectar melhor.

2 – Utilize como plataforma de vendas

Você pode também investir nas vendas via WhatsApp, mas até o momento, não existe nenhum recurso para realizar transações na plataforma, mas isso não impede a possibilidade de realizar esse tipo de operação, usando o WhatsApp para negociar e encaminhar a venda para outro canal, seja em outra plataforma online ou mesmo offline.

Se você acha que vale a pena investir no aplicativo, pode inclusive oferecer condições de negociação exclusivas, como descontos especiais para vendas negociadas pelo aplicativo. Isso ajudará você a construir uma base de emails cada vez mais consistente para trabalhar o relacionamento com sua base de clientes e conseguir mais indicações.

Em ambos os casos, é importante criar um atendimento personalizado através de um treinamento, seja para um atendente individual ou para uma equipe.

Lembre-se que, ao usar o WhatsApp como um meio de comunicação, ele fará parte da imagem da empresa, o que significa que a exposição da marca estará ali também, ou seja, não permita que comportamentos inadequados ocorram.

 

WhatsApp Business x WhatsApp Enterprise

Atualmente, as informações indicam que teremos outra versão do WhatsApp para empresas, chamada “WhatsApp Enterprise”.

Essa versão terá características diferentes do WhatsApp Business, sendo destinada a grandes negócios, como bancos, e-commerce’s, redes de fast food, etc. Já o WhatsApp Business é voltado para negócios locais, como lojas, consultórios, escritórios, imobiliárias e construtoras.

 

Recursos pagos e Ads

Apesar do aplicativo ser grátis para download, já foi noticiado que haverão alguns recursos pagos. Inclusive, não está descartada a possibilidade do uso de anúncios patrocinados no aplicativo, o que representa um ponto negativo, em termos de usabilidade, mas também um ponto positivo, caso seja possível que as próprias empresas façam uso desse espaço de anúncios, assim como ocorre no Facebook Ads.

 

E para o futuro? WhatsApp Payments

Já está em fase de testes e imagino que até 2019 a ferramenta de pagamentos do WhatsApp seja lançada. Nela, será possível fazer o envio de cobranças e realizar transações bancárias de maneira fácil, sem precisar sair do aplicativo. Sem dúvidas, o WhatsApp Payments será uma função bem interessante, tanto para consumidores quanto para empresas. Estamos no aguardo!

 

Existem diversas outras ferramentas digitais interessantes para empresas como a sua. Veja nosso guia com as principais (e que você não pode deixar de usar).

Principais ferramentas do marketing digital ebook

Como gerar leads qualificados com ofertas de conteúdo em seu site

Como gerar leads com ofertas de conteúdo

O site da sua empresa até conta com um bom número de visitantes, mas isso não ajuda a vender? Você precisa gerar leads qualificados!

Leads são visitantes que informam dados pessoais em troca de uma oferta. Eles são potenciais clientes.

Mas para gerar estes leads, apenas um formulário de contato não basta. Isso porque nem todos os visitantes do seu site estão querendo contato comercial com a sua empresa naquele momento. Portanto, existem outras maneiras de gerar leads e uma delas é criando ofertas de conteúdo (que também chamamos de “conteúdo rico”) baseadas na jornada de compra dos consumidores.

O que é “jornada de compra do consumidor”?

Antes de falar especificamente sobre conteúdo rico e como gerar leads qualificados, é interessante você conhecer e entender a jornada de compra do consumidor, para poder planejar seus conteúdos de forma adequada.

A jornada de compra define o caminho que o consumidor ou persona percorre para realizar uma aquisição, desde o momento em que a persona nem mesmo sabe que está precisando de algo, até o momento da compra. Pode ser que você encontre outros “modelos” por aí, mas o que nós costumamos usar (e é eficiente) é esse aqui:

Conscientização > Consideração > Decisão
Conscientização:

É quando o consumidor ainda não se deu conta, ou apenas suspeita, de que tem um problema ou uma necessidade. Isso significa que a sua empresa precisa orientá-lo para fazer com que ele entenda melhor seu problema e que é possível resolvê-lo. Os conteúdos que criamos para essa etapa são chamados de “topo de funil”.

Por exemplo: Você tem uma imobiliária e sua persona é Lúcia. Ela tem 30 anos e mora com sua família em uma casa alugada. Sua renda mensal é modesta, o que para ela significa um grande empecilho para sair do aluguel e adquirir a casa própria, mesmo que financiada. Exemplo de conteúdo direcionado para essa etapa: Post de blog “É possível sair do aluguel sem ter dinheiro sobrando?”. 

Consideração:

Nessa etapa, o consumidor já se aprofundou no assunto e está, como o próprio nome indica, considerando possíveis soluções para resolver seu problema ou necessidade. Nesse momento, o papel da sua marca é o de indicar boas soluções e alternativas pertinentes para ele. Os conteúdos dessa etapa são denominados “meio de funil”.

Exemplo: Lúcia se deu conta que é possível sair do aluguel e comprar a casa própria com sua renda atual, mas para não ficar no aperto, precisa ter uma “margem de segurança”, então ela precisa descobrir maneiras para se manter segura nesse processo de compra, ela precisa de um verdadeiro impulso para perceber que está no caminho certo. Exemplo de conteúdo: “Infográfico: Como juntar dinheiro para financiar a casa própria: ideias de renda extra”.

Decisão:

Esse é o momento em que o consumidor está decidido a fazer a compra, ele apenas precisa de um “empurrãozinho” para saber qual opção é a melhor para ele. Geralmente, empresas que não tem uma jornada de compra estruturada e não geram leads através de conteúdo, acabam trabalhando apenas essa etapa, chamada de fundo de funil, perdendo a oportunidade de educar seus consumidores como é feito no topo e no meio de funil.

Exemplo: Lúcia já sabe o caminho que vai seguir, ela vai trabalhar como manicure nas horas vagas e conversou com seu marido, que vai buscar um novo emprego que pague um pouco mais. Depois disso, eles partem para a escolha do imóvel e precisam de uma ajuda para reunir características que eles precisam: preço adequado para a realidade em que eles vivem, sem precisar morar muito longe do centro da cidade.  Exemplo de conteúdo: Portfólio com 10 imóveis de melhor custo-benefício da Imobiliária X (sua imobiliária).

Quais são os tipos de oferta?

Após entender a jornada de compra, é importante ressaltar que existem dois tipos de oferta de conteúdo que irão te ajudar a gerar leads qualificados: a oferta direta e a oferta indireta.

Ofertas indiretas:

Aqui se enquadram ofertas de todas as etapas da jornada de compra, mas com ênfase maior no topo de funil e meio de funil. São exemplos comuns de ofertas indiretas: ebooks, guias, infográficos, webinars, etc.

Ofertas diretas:

Aqui estão todas as ofertas relacionadas à compra de um produto ou serviço, por exemplo: solicitação de orçamento, período de testes grátis, demonstração do produto, cupons de desconto ou até mesmo a compra. Se formos considerar a jornada de compra do consumidor, aqui se enquadram apenas as ofertas de fundo de funil. Ou seja, ofertas que estão direcionadas para consumidores que já reconheceram um problema ou necessidade e estão decididos a adquirir determinado produto / serviço.

O que são “conteúdos ricos”?

Agora que você conhece a jornada de compra e sabe a diferença entre oferta direta e indireta, é importante entender qual é o significado de “conteúdo rico”. Basicamente, é qualquer tipo de conteúdo que, independente do estágio da jornada de compra (topo, meio ou fundo), irá oferecer um material interessante para o consumidor.

É preciso que o conteúdo que você criou tenha qualidade suficiente para o visitante do seu site trocar seus dados, como “email”, “telefone” e outras informações pessoais para poder ter acesso ao material, realizando aquilo que chamamos de conversão, se tornando um lead. O conteúdo rico é aquele conteúdo que vale a pena ser acessado.

Quando falamos de Inbound Marketing, (se você não sabe o que é isso, visite o nosso blog) os conteúdos ricos são essenciais para o bom funcionamento da metodologia, salvo casos específicos. Isso porque é o conteúdo rico que guia o avanço de suas personas pela jornada de compra, além de claro, tornar sua marca autoridade e referência no segmento de atuação.

Para oferecer o acesso aos conteúdos e gerar leads qualificados, você precisará fazer uso de ferramentas como um formulário ou uma landing page (página de captura), para aprender a fazer isso, leia nosso artigo completo sobre Inbound Marketing. Ou se estiver com dificuldades, fale com a gente!

CTA quero falar com um especialista em marketing para gerar leads qualificados

Como o Araucária Residencial conseguiu 381 potenciais clientes interessados em comprar seu empreendimento em menos de 2 meses

Como conseguir clientes para vender imóveis

Neste artigo, eu vou te dar dicas práticas de marketing digital para vender imóveis, que com certeza podem te ajudar imediatamente a conseguir melhores resultados, principalmente se você adotar as estratégias de divulgação que estou propondo. Isso serve para todos os tipos de imóveis, desde os com valores mais baixos, como os que participam do programa Minha Casa Minha Vida, até os imóveis de médio e alto padrão, com valores mais elevados.

O que o artigo pretende ajudar a responder:

– Como divulgar um empreendimento imobiliário no facebook e ter resultados;

– Qual a verba ideal para divulgar um empreendimento imobiliário;

– Como preparar minha equipe comercial para dar a tratativa ideal para os contatos gerados;

Mas antes de partir para a ação, vou detalhar os ingredientes da receita de sucesso:

  1. Posts no Facebook: Esqueça os posts “bonitinhos”, mas ordinários. Isto é, posts que são produzidos sem planejamento adequado para criação de uma identidade de marca, mas que até são bonitos visualmente. Se não existe um planejamento visual para criar uma identidade para para a construtora, eles só servem para alimentar o ego da sua agência ou o seu próprio. E vem aquela velha pergunta: Você quer encher o ego ou o bolso?
  2. Anúncios patrocinados: Facebook é um veículo de comunicação e não uma instituição de caridade e qualidade é melhor que quantidade. Considere esses dois fatores e pare de fazer diversas postagens por semana que não são impulsionadas com uma verba adequada. Novamente, esse tipo de postagem só serve para uma coisa: Alimentar o ego de quem cria ou criar uma falsa sensação de que o empreendimento imobiliário está sendo bem divulgado. Quer fazer direito? Faça poucos posts, bem planejados e todos impulsionados, nunca muitos posts “engraçadinhos” sem planejamento.
  3. Meça resultados: Toda métrica tem que ser feita considerando o número de leads gerados. Leads são potenciais clientes que interagiram com uma empresa na internet. O caminho que um lead qualificado deve percorrer é: visitante > lead > oportunidade > venda. 1.000 visitas > 300 leads >100 oportunidades > 10 vendas. Isso é um funil de vendas!
  4. Automação de marketing: Sem um software de automação de marketing e geração de leads como o RD Station, por exemplo, você está apenas brincando no Facebook e não está tendo uma estratégia de marketing digital de verdade. Existem outros softwares que nós já testamos aqui na agência, mas nenhum se mostrou tão eficiente e tão bom quando se trata de suporte estratégico e técnico quanto o RD.
  5. Segmente seu público: Impulsionar no Facebook vai muito além daquele botão que ele oferece “impulsione aqui” e te permite selecionar apenas “região”, “sexo” e “idade” de quem vai receber a postagem. Dentro do gerenciador de anúncios, você tem diversas outras opções para segmentar seu público. Pare para pensar em quanta informação o Facebook possui sobre o comportamento de seus usuários. Você acha mesmo que ele não iria usar isso para vender espaços publicitários? Por exemplo: Você sabia que é possível anunciar no Facebook apenas para quem gosta de gatos e mudou o status de relacionamento para casado nos últimos 6 meses? Pois é…

Se quiser se aprofundar mais nesses assuntos, recomendo que baixe o nosso ebook “Principais ferramentas de marketing digital e como elas irão aumentar suas vendas“.

Principais ferramentas do marketing digital ebook

Agora que você já sabe conhece a “receita do sucesso”, vou explicar como fazer isso se transformar em uma máquina de vendas. Mas antes, dá uma olhada nesse pequeno glossário que preparei para te ajudar a entender melhor:

Leads: potenciais clientes que interagiram pela primeira vez com uma marca online.

RD: software de automação de marketing que monitora o comportamento dos leads e automatiza processos. Ideal para trabalhar Inbound Marketing.

Impulsionamento: É o valor programado para “pagar para o Facebook” mostrar o seu conteúdo para um perfil específico de pessoas.

Darkpost: Um post feito através do gerenciador de anúncios, que irá aparecer apenas para o público que você selecionou no patrocínio, caso você queira esconder a sua estratégia dos seus concorrentes.

Agora sim, vamos lá! Esses são os passos principais para você captar leads interessados em imóveis:

Passo 1:

Defina seu público-alvo, você também pode chamar de persona. Aqui nesse artigo a gente explica um pouco mais sobre o que são personas. É importante você definir sua persona para entender que tipo de conteúdo vai gerar curiosidade nesse perfil de público.

Passo 2:

Defina um conteúdo interessante para promover, pode ser uma tabela de preços, pode ser um guia com lista de imóveis com um determinado perfil. Mas evite os já manjados e batidos ebooks, facilite a vida do comprador.

Passo 3:

Defina uma verba. Para conseguir 381 leads na região de Ponta Grossa-PR que tem aproximadamente 350 mil habitantes, uma sugestão é dividir o número de habitantes por um número entre 80 e 200. Você terá uma verba razoável. 350.000/80 = R$ 4.375 sendo R$ 2.187 por mês. Essa é apenas uma fórmula, você precisa analisar uma série de outros fatores como margem de lucro, potencial de faturamento do negócio, etc. O que vale reforçar novamente, é que sem investimentos consistentes, sua estratégia de marketing digital para vender imóveis vai ficar comprometida.

Passo 4:

Monitore, através do RD Station, o índice de conversão e a qualificação dos seus leads.

Painel de monitoração de leads Inbound Marketing

Este é o painel simplificado de monitoração de leads no processo de Inbound Marketing.

Passo 5:

Treine sua equipe para receber os leads, integre eles na campanha, mostre o que está sendo divulgado e crie um script base. Aquele vendedor que fala:  “eu não preciso de script”. Repense se ele cabe em sua equipe, afinal, é a marca da sua construtora que esta em jogo. Vale criar gatilhos mentais específicos para cada abordagem ou para cada conversão realizada. Por exemplo, noivos que procuram o primeiro apartamento, serão impactados por palavras como: segurança, sonho, família, bebês. Veja maneiras de inserir essas palavras no script dos vendedores e assista a mágica acontecer!

Passo 6:

Monitore a evolução. Lembra que falei no início do caminho do lead?

Monitore quantas visitas viram leads. Quantos leads viram oportunidades. Quantas oportunidades fecham negócio. Aí pode surgir outra dúvida: “Como definir o que vira oportunidade?” Eu gosto da classificação que diz que o lead que tem as características básicas para se tornar um cliente é uma oportunidade. Isto é, possui a renda adequada? Possui interesse em comprar um imóvel com esse estilo que você está vendendo? Se ambas as respostas são sim, já podemos dizer que é um lead qualificado.

Conclusão

Repense suas campanhas a cada 2 meses. Esqueça de uma vez por todas essa loucura de ficar postando todo dia no Facebook, isso serve apenas para alimentar egos. Facebook é um veículo e marketing digital se faz com planejamento, investimento e métricas de resultado.

Se você precisa de ajuda para gerar mais leads e vendas em seus empreendimentos imobiliários, nós podemos te ajudar, converse com um especialista da yard.

CTA quero falar com um especialista em marketing