Saiba como utilizar o marketing de posicionamento para sua marca

Como o Brasil costuma importar a maioria das técnicas de vendas e estratégias de marketing, existe muita confusão entre alguns conceitos da área. A principal delas envolve o marketing de posicionamento.

Existe, por um lado, o marketing de posicionamento na internet, que tem a ver com SEO (Search Engine Optimization) e ranqueamento para que um site apareça de modo privilegiado nos motores de busca, na sessão orgânica.

Por outro lado, existe o conceito de posicionamento de marketing, que é algo bastante antigo e remete a uma visão muito mais abrangente. Este tem a ver com o desempenho de uma marca no mercado como um todo.

Se o posicionamento na internet remete a páginas de busca como Google, Bing, Yahoo e aos demais buscadores, o marketing de posicionamento remete ao branding e à gestão das marcas, desde a origem até o ápice de uma empresa.

Naturalmente, um conceito não exclui o outro, e ambos são importantes. Também assim, dependendo do estágio em que seu negócio se encontra, seria o caso de lançar mão de uma tática e deixar a outra em stand-by.

Assim, todas as estratégias tratadas neste post trazem (ou ajudam a desenvolver) os seguintes aspectos:

  • Maior conscientização de mercado;
  • Melhor desenvolvimento da marca;
  • Missão, visão e valores da empresa;
  • Aumento geral nas vendas e resultados;
  • Técnicas para acelerar o crescimento;
  • Estratégias de como fortalecer um negócio;
  • Conceitos diversos de marketing/branding, etc.

Dois focos diferentes e complementares

A estratégia de SEO costuma ser indicada para o posicionamento de palavras-chave específicas, voltadas para serviços práticos como serralheira, aula de natação infantil, musculação, estética automotiva, etc.

Já o posicionamento da marca e o branding dizem respeito a uma etapa em que a empresa está preparada para atender uma demanda maior de modo padronizado, capaz de replicar sua operação com folga.

Neste último caso, posicionar-se frente a um mercado cada vez mais competitivo pode ser mais que mero luxo, pode ser uma questão de sobrevivência.

Entre um e outro caso, trata-se de uma diferença de foco. Adiante, essas modalidades serão melhor compreendidas, de modo prático e com várias dicas de como aplicá-las no caso a caso.

Branding: por dentro do conceito-chave

Em termos essenciais, o posicionamento de marketing remete aos resultados que uma determinada marca atinge no seu nicho.

Mas esse posicionamento não deve ser confundido, de modo algum, apenas com resultados. Trata-se muito mais da importância que a marca tem ante o seu público, e até para além dele.

Como se sabe, nem sempre o que justifica um carro ou celular custar muito mais que outros é apenas a diferença técnica, ou a qualidade da matéria-prima. Mas o prestígio de uma marca, o elemento intangível que é transmitido por ela.

Esse é o campo do branding propriamente dito. O que o empreendedor precisa compreender é que, embora ele também se dirija às grandes corporações, o conceito serve para todo tipo de empresa.

Feito para os pequenos e para os grandes

Certamente, uma loja de bairro ou uma oficina tradicional terá interesse em ser conhecida como a melhor da sua região.

E mais que isso, gostará de ser lembrada como tal, de modo a sempre surgir na memória dos clientes quando eles precisarem de algo daquele segmento. Essa é a alma do branding!

Ele lida com a autoimagem da marca, com as identidades verbais e visuais desenvolvidos na concepção da empresa. Bem como com a missão, os valores e o compromisso.

Uma oficina que faça serviço de higienização de ar condicionado automotivo pode não atender a cidade inteira em que se encontra. Mas, se tiver uma visão clara desses conceitos mais abrangentes, certamente se desenvolverá mais e ganhará força perante a concorrência.

Também é assim que surgem, por exemplo, as grandes redes, que muitas vezes começaram pequenas, porém já ousadas. Certamente, uma boa empresa que presta limpeza de ar condicionado de janela pode atingir a excelência em sua prestação de serviço. E depois?

Ora, uma vez feito isso, a expansão para outras unidades e até outros estados passa a ser uma realidade cada vez mais concreta. Mas isso depende da visão e da cultura organizacional nutridas desde o primeiro dia.

Ou seja, depende dos aspectos tratados pelo branding!

Os 4 P’s: marketing, a ponta da lança

O marketing, por sua vez, envolve um conceito bem mais prático. Ele é a parte da estratégia que lida com táticas mais concretas, faz campanhas palpáveis e parametriza os resultados atingidos.

É nessa esfera que se ouve falar em SEO, em publicidade paga (links patrocinados), em outbound marketing, inbound marketing, newsletters, e-mail marketing e demais estratégias.

Um exemplo claro de como seu escopo é mais prático se encontra na famosa teoria dos 4 Ps, segundo a qual o marketing se concentra nestas quatro pilastras:

  • A do Preço;
  • A da Praça;
  • A do Produto;
  •  A da Promoção.

Também chamado de “mix do marketing”, a teoria ajuda o empreendedor a ter uma visão mais ampla do seu negócio desde o início.

O Preço tem a ver com quanto será cobrado, mas também com cálculos de custos gerais, com taxas de lucro, com prazos e descontos, etc. O que já envolve a venda/marketing.

Ainda no exemplo dos veículos, ao vender um reboque para moto (aquela carretinha que permite ao motociclista carregar mais coisas consigo) será preciso, certamente, fazer antes um estudo de mercado.

Grande parte desse estudo focará, em primeiro lugar, no valor praticado pelas fornecedoras que fabricam o produto. Depois, no valor de venda praticado pela concorrência.

Percebe como, mesmo sem usar esses nomes ou saber desses conceitos, eles sempre são aplicados? No entanto, somente ao tomar posse deles é que alguns pontos ficam mais claros e permitem maior eficiência.

A Praça tem a ver com o local da venda. Isso envolve a concorrência, sem dúvida e, de novo, a venda/marketing. Mas também envolve distribuição e aspectos práticos de logística.

Neste último caso, entram em questão o armazenamento do produto e os pontos de venda. Podem ser, por exemplo, lojas físicas ou virtuais, o que mudará vários detalhes na estratégia.

A dimensão de “o que você vende”

Os outros dois P’s (Produto e Promoção) são ainda mais determinantes. Como dito, essa estratégia essencial dá uma visão de conjunto. Justamente por isso, o Produto, que pode parecer o primeiro ponto de um negócio, é o penúltimo.

É sempre bom lembrar que essas estratégias servem a todos os segmentos e nichos de mercado, da fábrica e manufatura ao serviço ou oficina de bairro. Nos ramos de construção civil ou festas e eventos há vários exemplos bastante ilustrativos.

Se você trabalha com aluguel de tenda para casamento, por exemplo, saber sobre esse produto não será o suficiente, embora seja imprescindível. A parte de “o que se vende” tem a ver com os atributos do Produto, ou seja, com os intangíveis citados acima.

Para começar, quem lida com festas de batismo, de casamento e de formatura, não vende outra coisa senão a realização de um sonho, concorda? Isso vem muito antes do produto.

Assim, embora a qualidade do conteúdo nunca possa ser deixada de lado, às vezes é preciso investir na “embalagem” mais do que se imagina em um primeiro momento.

Tudo sobre “como você vende”

Como ficou claro, de nada adiantam as estratégias imediatas se elas não têm respaldo em conceitos mais abrangentes.

O modo como o seu cliente ficará sabendo que você existe, o que é a essência do marketing, é a última etapa do processo. Trata-se do P de Promoção. Esse é o modo sobre como você vende um produto/serviço.

Ainda na área de construção civil, uma coisa é um autônomo prestar restauração de fachada predial por conta, sem muitas pretensões de crescimento. Outra é a empresa já nascer ousada, ciente de quem é e de aonde quer chegar.

Existem vários canais ou meios de divulgação que são úteis para pequenas e grandes empresas. Hoje os motores de busca são a maior vitrine do mundo e, apesar disso, são bastante democráticos.

Em sentido estrito: o posicionamento na internet

Se o marketing é mais prático que o branding, o posicionamento na internet é ainda mais prático do que o marketing enquanto disciplina.

De fato, uma grande empreiteira tem interesse em aparecer no Google ou no Bing, tanto quanto uma loja de bairro que faz instalações de papel de parede para cozinha. E hoje há métodos acessíveis para ambas.

O link patrocinado é a publicidade paga. É o famoso PPC (pay per click), em que a empresa divide o topo dos buscadores com todos os demais anunciantes que pagam para estar ali. Os cliques costumam ser caros, mas justamente porque são eficientes.

Para uma empresa que quer focar-se, por exemplo, em campanha de instalação de cortina de vidro varanda, compensa recorrer a ele, pois quando o cliente pesquisa algo assim é porque ele está em momento de compra.

Outro modo de lidar com os motores de busca, porém, é aparecer na busca orgânica, logo abaixo dos anúncios pagantes.

Para isso, é preciso cumprir alguns requisitos, atendendo parâmetros como tamanho dos títulos, dos textos, links com outras páginas de qualidade, etc. Isso tem mais a ver com o design do site, do blog ou do portal.

Também é importante. Demora um pouco mais, porém não tem custos imediatos e pode ser uma excelente estratégia para a mesma empresa de construção civil, talvez voltada para outros produtos ou serviços do seu portfólio.

O que é uma agência de marketing de resultado?

Uma agência de marketing de resultado tem como objetivo entregar oportunidades comerciais para a sua empresa. A agência de marketing de resultado não está interessada em fazer “mais do mesmo”, apenas com campanhas institucionais apoiadas em metodologias convencionais do marketing. O marketing de resultado busca ir além, em essência, trata-se de reconhecer quem são os consumidores do seu produto / serviço, criar relacionamento e despertar interesse, para assim conduzir esse consumidor a fechar negócio. Se você ainda tem dúvidas sobre o que é uma agência de marketing de resultado e quais são as vantagens de contar com ela, leia o artigo.

O diferencial do marketing de resultado

Para fazer marketing de resultado, uma agência baseia seu trabalho na metodologia do inbound marketing, também chamado de “marketing de atração”, uma vertente do marketing digital.

Os principais objetivos do inbound marketing são: gerar leads, qualificá-los e identificar oportunidades de vendas, sempre mapeando e se baseando na jornada de compra do consumidor. Ou seja, o caminho que o consumidor percorre entre conhecer a sua marca ou serviço, até a decisão de compra.

Uma agência de marketing de resultado se baseia em dados concretos para entregar sucesso ao cliente.

Uma agência de marketing de resultado se baseia em dados concretos para entregar sucesso ao cliente.

É importante ressaltar que uma agência de marketing de resultado não pauta o trabalho em métricas geradas pelo Facebook ou Instagram, que muitas empresas ainda costumam valorizar: curtidas, comentários e compartilhamentos. Pelo contrário, o sucesso do marketing de resultado se baseia no custo de cada oportunidade comercial gerada para a sua empresa.

Clique aqui e fale com um especialista em marketing de resultado

Entenda como uma agência de marketing de resultado pauta as ações      

A partir da metodologia do marketing de atração, uma agência de marketing de resultado direciona as atividades para identificar a persona, ou seja, a personificação do seu público-alvo para, em seguida, desenhar a jornada de compra da persona, ou seja, todo o caminho que o consumidor percorre, desde o despertar de uma necessidade até a compra.

Veja quais são as estratégias para cada etapa.

  • Atrair o consumidor

O primeiro passo e um dos mais importantes é a produção de conteúdo de qualidade para atrair potenciais compradores. Na prática, a ação é feita com o desenvolvimento de artigos de blog, conteúdos ricos (ebooks, infográficos, guias, etc) e vídeos com temas de interesse do consumidor. O objetivo é publicar assuntos que vão de encontro com o que a persona busca, isso é identificado durante o mapeamento da jornada de compra.

Para garantir visibilidade, as estratégias mais utilizadas são as de SEO (estratégias de ranqueamento orgânico no Google) e de anúncios em plataformas como Facebook Ads e Google Ads.

  • Conversão de visitantes em leads

Quando as personas são impactadas por um conteúdo de qualidade, elas se interessam em acessá-lo. Logo após essa etapa de atração, vem a conversão. Nesta fase, o trabalho de uma agência de marketing de resultado é garantir conteúdos únicos e “incríveis” e em troca dos dados do visitante. Funciona assim: o visitante se interessa pelo conteúdo produzido e, para ter acesso, precisa disponibilizar os dados em um formulário. Esta é a chamada “conversão.

A conversão transforma um simples visitante em um “lead”.

  • Relacionamento

Esta fase consiste em alimentar a base de leads com mais conteúdos de qualidade. A intenção é, passo a passo, fortalecer a relação que foi criada a partir de cada conteúdo oferecido, para despertar o desejo de compra.

  • Geração de oportunidades

Se as etapas anteriores foram feitas corretamente, vender para a audiência que interagiu com a marca torna-se muito mais fácil para a sua equipe de vendas. Os profissionais da agência, juntamente com a sua equipe de vendas, identificam quais leads estão prontos para serem abordados. As oportunidades qualificadas têm muito mais chances de comprar do que um “lead frio”.

“A chance de vender para um lead quente é 8X maior do que para um lead frio”

 

  • Mensuração e avaliação

A etapa final da metodologia praticada em uma agência de marketing de resultado é analisar os resultados. A intenção é verificar erros e acertos das etapas da jornada de compra e discutir o que pode melhorar. Deixar de lado este último passo faz com que todo trabalho feito anteriormente não tenha importância, já que os problemas tendem a repetir.

Nos relatórios, o objetivo principal é identificar o custo por oportunidade (CPO), ou seja, quanto você precisou investir para gerar cada oportunidade comercial. A agência de marketing de resultado busca reduzir o valor do CPO.

As vantagens de contar com uma agência de marketing de resultado         

Uma agência focada em marketing de resultado possui uma equipe com conhecimento para analisar a posição da marca frente à concorrência e realizar ações que posicionam sua empresa como referência no mercado. Mas não é apenas isso, saiba por que é importante contar com uma agência de marketing de resultado.

Terceirizar o inbound marketing vale a pena?

  •  Compreender qual a capacidade da sua marca ou serviço;

São profissionais especialistas em mapear o consumidor e reconhecer como ele é visto, pontos positivos, negativos e entender a concorrência.

  • Resultados reais;

É possível entender qual é o retorno da verba investida. Não são estimativas, mas resultados concretos.

  • Otimização de prioridades;

Uma equipe treinada para pensar o desenvolvimento do marketing da sua empresa, garante que você se esforce para o que sabe fazer de melhor: vender e entregar um produto/serviço de qualidade.

  • Economia;

Ao reconhecer o posicionamento da marca e o desejo do seu lead é possível determinar métodos mais assertivos e evitar gastos desnecessário. Além disso, sua empresa deixa de investir em métricas de vaidade (curtidas, compartilhamentos, etc) e investe no que realmente dá resultado.

Você procura uma agência de marketing de resultado focada em proporcionar resultados concretos? Conheça a yard. Somos uma agência disposta a “lutar por cada jarda” e criar estratégias para trazer resultados de verdade.

Quero falar com um especialista da yard.

Aumente a velocidade do seu site com AMP (Accelerated Mobile Pages)

O celular está na nossa mão o tempo todo, utilizamos para conversar com os amigos, para trabalhar, jogar, acompanhar notícias, e para uma infinidade coisas. Segundo dados da SEMrush (Empresa de software que oferece soluções para marketing online), no Brasil mais de 50% de todo o tráfego no site de buscas são feitos através do smartphone.

Esse crescimento das buscas via mobile despertou a necessidade de melhorar a experiência do usuário, visto que a qualidade e o carregamento em dispositivos móveis deixava muito a desejar por diversos problemas, como, cobertura da rede, dispositivo e otimização dos próprios sites de destino. Tudo era muito frustrante, lento, o que se tornava um desafio de paciência para o usuário.

Em 2015 com a ideia cravada do “mobile first” a Google em parceria com outras empresas, como, Linkedin e Twitter, lançaram o AMP Project. A iniciativa AMP surgiu dessa necessidade de melhorar a navegação no mobile para todos, seja usuário, plataformas ou editores. Ao fazer buscas via smartphone você já deve ter notado em alguns resultados, um ícone de um raio no canto esquerdo, ao lado da url do site. Esse é o símbolo do AMP.

Exemplo de uma página que possui AMP (Accerated Mobile Pages).

 

Então, como o AMP funciona?

As páginas que utilizam o AMP são basicamente como qualquer outra página HTML, porém elas oferecem um conjunto limitado de recursos, que são definidos por regras e especificações do Accelerated Mobile Pages, essas páginas são carregadas e funcionam em qualquer navegador popular atualizado.

Para priorizar a velocidade e oferecer uma experiência mais veloz ao usuário, os arquivos AMP não priorizam a aparência do conteúdo, dessa forma consegue-se construir uma estrutura mais básica que pode acelerar o tempo de carregamento das páginas do website.

Outra forma de utilização das páginas AMP, é que elas podem ser armazenadas em cache na nuvem, isso ajuda a reduzir mais ainda o tempo de carregamento do dispostivo móvel. Essa combinação de recursos faz com que as páginas de destino obtenham um melhor desempenho de forma geral.

O artigo do RD Summit 2019 publicado no site da yard utiliza AMP.

Porque você precisa considerar o AMP

Neste artigo falamos que páginas que demoram até 3 segundos para carregar são ideais para usuários. Com o Accelerated Mobiles Pages, elas poderão alcançar um posicionamento orgânico melhorado nas pesquisas do Google. Sim, esse é um dos critérios que o algoritmo usa para pontuar as páginas de destino e ranqueá-las.

Bom, se você chegou até aqui já deve ter percebido como é importante ter um site que carrega rápido no smartphone,  você consegue reter mais tráfego e ainda posicionar melhor o seu site, agregando uma estratégia de SEO.

Sites lentos impactam diretamente nas vendas, já pensou em quantos possíveis clientes você pode estar perdendo por não oferecer uma experiência rápida?

Curtiu o artigo? Se quiser saber melhorar seu site e criar estratégias de marketing que funcionam, diga um oi, que nós podemos te ajudar!

 

 

Quem somos e por que fazemos “marketing de resultado”?

A yard. é uma agência que nasceu com o objetivo de oferecer excelência em estratégias de resultado. Assim como no futebol americano, nós ‘lutamos por cada jarda’. Esta é a razão de levarmos este nome. “Yard” em inglês significa “jarda”, que além de ser uma unidade de medida oficial norte americana, representa o trecho disputado em uma partida de futebol americano, quando os atletas, com estratégia e determinação, ultrapassam cada jarda rumo à linha do touchdown para vencer uma partida. A essência da yard.  é essa, uma agência focada em lutar por cada jarda, com o objetivo de gerar resultados reais e surpreender cada cliente.

Trabalhamos com vontade de vencer

Nossa equipe de profissionais foi selecionada para fazer a diferença no mercado, unindo criatividade e dedicação com objetivos claros e busca por resultado.

Para lutar por nossos clientes, dedicamos muito tempo de estudo, planejamento, testes e  busca constante por conhecimento e desenvolvimento. Para a yard., cada detalhe é importante e acreditamos que podemos sempre surpreender.  

Assim como no futebol americano, nós lutamos por cada jarda como se fosse a última.

Por que fazemos “marketing de resultado”?

O foco de nossa linha de trabalho está voltado para o Inbound Marketing, esta é a estratégia principal que utilizamos para gerar resultados aos nossos clientes.

Mais do que impactar potenciais clientes através de anúncios no marketing digital, desenvolvemos um estudo profundo de buyer-personas, realizamos o planejamento estratégico de conteúdos e de mídia, desenvolvemos conteúdos relevante, estudamos dia a dia os principais canais digitais, construímos relacionamento entre empresa e clientes, criamos um vínculo saudável, sempre pensando em um objetivo específico: gerar oportunidades comerciais prontas para serem abordadas pelo cliente para fechar uma venda.

Para gerar estas oportunidades comerciais, todas as decisões são tomadas se baseando em testes diários e estudo de algoritmos de inteligência artificial do Google, redes sociais e plataformas de anúncio online.

Fazemos “marketing de resultado” porque oferecemos a possibilidade de nossos clientes saberem o retorno de seu investimento que resultou em vendas.

Nós vamos além!

Somos uma agência apaixonada por marketing digital. Nos últimos anos, reconhecemos todas as vantagens e diferenciais que ele agrega, mas não esquecemos as mídias tradicionais. Por essa razão, procuramos fazer publicidade que dá resultado, independente de qual seja o caminho a seguir. Trabalhamos com criação de marcas, campanhas em mídias tradicionais e desenvolvimento de sites.

Nossa equipe de planejamento, design e redação está sempre atualizada e preparada para criar projetos coerentes com o posicionamento e identidade do cliente, respeitando o público-alvo e, claro, sem esquecer da missão da yard.: “Criar estratégias de marketing que dão resultado, encantam e inspiram”.

Fazer mais do mesmo ou criar campanhas que chamam atenção pela beleza não é o nosso projeto. Estamos no mercado para atender empresas que querem resultado em vendas.

E se você quer receber parte do nosso conhecimento na prática…

Temos o curso “Imersão Digital”. Através dele, direcionamos empresários, estudantes e profissionais de marketing que buscam ampliar seus conhecimentos no universo digital. O aluno permanece em uma total imersão, aprendendo técnicas e estratégias que são utilizadas no dia a dia da agência. Aqui não escondemos nem a “cereja do bolo”!

Parceiros gigantes que nos conhecem e aprovam nosso trabalho

Durante nossa experiência trabalhando com marketing de resultado, ganhamos espaço não só no cenário regional, mas também no cenário nacional. Construímos parcerias importantes. Atendemos clientes de variados segmentos e com posições significativas no cenário nacional.  Acreditamos que esta confiança é sinônimo de toda luta e dedicação do time da yard.

E não vamos parar por aqui, ainda há muito a ser feito!

Nosso objetivo é continuar aperfeiçoando nosso conhecimento, melhorando os serviços, agregando ideias inovadoras e nunca, jamais, medir esforços para fazer com que o amanhã seja melhor do que hoje.

Acha que você pode ter mais resultados com seu negócio? Fale com especialistas.

CTA quero uma análise na minha página no Facebook

Email marketing funciona?

Acredito que seja uma dúvida comum no dia a dia de quem tem ligação com o marketing de uma empresa: email marketing (ainda) funciona? A resposta é: sim, mas depende.

Antes de tudo, se você já costuma utilizar ou pensa em fazer uso da ferramenta, é interessante entender a sua própria expectativa nos disparos de email marketing. A pergunta chave é: Qual é o objetivo?

Pode ser venda, cadastro, nutrição, relacionamento ou apenas reforço de marca. Defina um principal.

Tendo essa resposta, a partir daí, é possível alinhar melhor o que podemos chamar de “resultado”.

Se o seu objetivo é venda e/ou cadastro, estabeleça uma meta baseada na porcentagem do total de leads que irão receber o disparo. Por exemplo, se 0,1% dos destinatários do disparo do email marketing fizeram a compra ou cadastro no link, seu disparo foi um sucesso! Agora, na próxima vez, você pode dobrar essa meta. Não há muita regra em relação a isso. Mas existem sim alguns índices de abertura, cliques, etc, que servem como indicadores de sucesso, falarei mais sobre eles a seguir.

Agora, se o objetivo do disparo foi relacionamento ou reforço de marca, a mensuração dos resultados é muito mais complexa. Afinal, não há muito como comprovar em números, que o email sim deu resultado, mas posso afirmar que mal não faz.

Disparo para base de leads ou para uma lista comprada?

É muito comum que empresas comprem listas com centenas de emails para disparos. Nesse caso, existem alguns problemas que envolvem essa prática. O primeiro problema é que uma lista comprada não é composta por pessoas que realmente desejam receber o que você manda. Isso é ruim para o usuário e, claro, ruim para sua empresa, pois estará atingindo muita gente que não necessariamente é seu público-alvo.

Não estou dizendo que não irá funcionar, mas é preciso entender que uma lista comprada não tem tanta efetividade quanto disparos realizados para uma base de leads 100% legítima, que pode ser construída através diversas maneiras: formulário de cadastro no site, landing pages, ou mesmo no cadastro de clientes “offline”. Aí o cenário muda, pois são pessoas realmente interessadas em seu conteúdo (e as vezes, nem elas estão tão interessadas assim).

Índices de um disparo bem sucedido

  • Quanto a taxas, segundo a Resultados Digitais, esses são os índices de um disparo de email bem sucedido:
  • Acima de 95% de entrega;
  • Acima de 15% de abertura;
  • Acima de 2% de cliques;
  • Abaixo de 1% de descadastro;
  • Abaixo de 0,1% de marcação como “spam”.

Esses números são interessantes para ter uma “base” e, caso você não esteja alcançando-os, provavelmente há algo de errado em seus emails.

Concluindo, disparos de email marketing, sim, funcionam. Acontece que muita gente tem a expectativa de realizar o disparo para 1000 pessoas achando que isso vai resultar em 100 vendas. E não é assim.

Lembre-se que, quando realizado para uma base de leads própria, o disparo de email marketing é grátis. Não custa absolutamente nada e pode gerar um retorno interessante.