Mídia programática é essencial para sua empresa

A mídia programática é uma ferramenta recente e pouco utilizada no Brasil, porém, ela é um mecanismo muito poderoso.

Por muito tempo, a compra de mídia online foi realizada de forma manual e havia uma grande dificuldade em escolher os espaços publicitários.

Já pensou em negociar com cada site que você quer exibir anúncios? Esse trabalho consome muito tempo e dificulta na hora de definir um público-alvo, pela quantidade de opções que a web oferece, além de não haver uma padronização nos tamanhos de anúncios.

Foi para resolver isso que a mídia programática surgiu, é um processo que foge dos meios convencionais, é todo automatizado via software. Uma das plataformas mais conhecidas de mídia programática é o Google Ads, esse sistema revolucionou a publicidade online, trazendo mais eficiência e inteligência.

O Google Adwords se tornou Google Ads em 2018

Como funciona a mídia programática?

A grande sacada da mídia programática está em comprar a audiência e não os canais (websites, onde os anúncios são exibidos), de forma bem prática, você define seu público-alvo, por interesses, comportamentos, entre vários outros filtros e a distribuição dos anúncios fica por conta do software. Com base no que você definiu, ele irá mostrar os anúncios em diferentes sites da web para o público certo.

Esse tipo de mídia também abre espaço para fazer variações de anúncios, dessa forma o sistema vai aprendendo como seu público interage, e mostra os anúncios de melhor desempenho, rotacionando e ajustando em tempo real.

A mídia programática é indicada para todos os tipos de negócios, com ela é possível fazer campanhas voltadas a branding, também é possível gerar mais tráfego para o seu website, além da geração de leads.

A mídia programática possui algumas vantagens, como:

1 – Remarketing

Você já entrou em algum site e depois se viu perseguido por diversos banners?

Esse é o famoso remarketing, um método que consiste em mostrar anúncios para consumidores que já fizeram algum tipo de interação com a marca. Essa prática tem a intenção de fazer com que os consumidores que visitaram o seu site e não finalizaram a compra, voltem.

Ao clicar em um anúncio, um cookie é armazenado em seu computador e fica disponível geralmente por 30 dias, através desse registro o Google consegue identificar e exibir anúncios similares, ou até mesmo ofertas. Você já experimentou botar algum item no carrinho de compras e não a finalizar? Se sim, aposto que logo depois você deve ter recebido um anúncio deste produto, com 20% de desconto.

O remarketing está disponível em diversas plataformas de publicidade online, como: Facebook, Google, e Instagram. Se possível deve-se utilizar todas, se a verba disponível for limitada, deve analisar em qual plataforma a maior parte do seu público-alvo está presente.

A partir de tags instaladas no website, essa ferramenta consegue acompanhar todos os visitantes, desta forma é possível você atingir todas as pessoas que entraram na página inicial do website ou visitaram páginas específicas. Estrategicamente, pode-se oferecer descontos e outros produtos similares de menor ou maior custo de aquisição, integrando técnicas como as de Tripwire.

O remarketing oferece inúmeras possibilidades, chances de mapear, entender seus clientes e melhorar suas vendas. Se você não faz ainda, deve começar agora mesmo.

 

2 – Segmentação assertiva

Uma vasta gama de filtros ficará a sua disposição para montar o público-alvo, além de que o aprendizado de máquina consegue identificar potenciais consumidores de acordo com seu objetivo, por exemplo: mostrar anúncios de conversão para potenciais usuários que convertem mais.

A segmentação de audiência é a grande força da mídia programática

3 – Monitoramento e gestão de investimento

Na Dashboard, é possível controlar todos os custos a qualquer momento, você pode aumentar e diminuir as verbas da campanha. Pode-se também programar horários para as veiculações de anúncios, afim de otimizar seu investimento.

No final de tudo é possível analisar as métricas, o Google Ads por exemplo, oferece relatórios de diversos tipos, com campos personalizados para que você possa melhorar ainda mais as campanhas.

A mídia programática vem crescendo aos poucos e junto ao machine learning está revolucionando a publicidade online.

Curtiu o artigo? Se quiser saber mais como integrar essas estratégias de mídia programática diga um oi, que nós podemos te ajudar!

7 ferramentas que irão ajudar a organizar a sua empresa

Organizar, manter a comunicação alinhada e criar processos que ajudam no dia a dia da empresa é essencial para o crescimento de uma organização. Neste artigo, vamos indicar algumas ferramentas para empresas que irão somar ainda mais na produtividade da sua equipe e também ajudarão a alavancar o seu negócio!

1 – SLACK

O Slack é um sistema de comunicação empresarial, que pode também ser utilizado para fins pessoais, pois contém muitos recursos e a facilidade do uso  somada a interface agradável tornam o software ainda mais atrativo. Essa aplicação funciona por meio de canais, a partir daí cabe a você decidir qual é a melhor forma organizacional, se os canais serão divididos por assunto, por cliente, por departamento, por ele é possível enviar imagens e vídeos e também fazer integração como outros aplicativos, como o Trello.

2 –  TRELLO

O Trello é um serviço online muito popular e bastante utilizado pois é adaptável e pode servir para diversos tipos de empresas, de diferentes segmentos, além de proporcionar uso pessoal como: organizar tarefas domésticas, entre outros.

Sua interface consiste em “Boards” que depois de criados ficam na posição horizontal, pode-se dizer que eles são o título ou o tema do seu conteúdo que será organizado, por exemplo: Projeto de sistema X, Relatórios do cliente Y, Plano de viagem Z. Dentro dos “Boards” estão os  “cards” e dentro deles é permitido colocar anexos, inserir comentários e criar check lists que ajudão a controlar as etapas do seu objetivo.

Um exemplo básico de como organizar “cards” no Trello

3 – POSTGRAIN

O Postgrain é uma plataforma online paga que faz agendamentos de posts para Instagram, você pode testa-lo gratuitamente por alguns dias. Com ele é possível agendar posts de feed, stories, enviar e receber direct, além de um relatório completo sobre o crescimento do perfil e publicações.

4 – MAILCHIMP

É uma ferramenta muito utilizada no mercado do marketing e reúne uma série de vantagens, pode-se criar anúncios para Google, Facebook e Instagram, porém o item mais usado pelas organizações é a automação de e-mails. O E-mail marketing quando corretamente usado pode ser uma solução para alavancar o seu negócio e é nisso que o MailChimp se propõe ajudar.

5 – GOOGLE TAG MANAGER

Você ainda precisa colocar um monte de códigos no seu site quando se trata de acompanhamento de conversões, informações do LinkedIn e outras mais? o Google Tag Manager veio justamente para facilitar esse trabalho, por ele é possível criar e gerenciar Tags.

O Tag Manager proporciona uma interface amigável e muito didática, sendo muito mais seguro, pois com ele você tem acesso ao histórico de alterações, além de não correr o risco de apagar algum trecho errado do código do site.

6 – GOOGLE ANALYTICS

Está ferramenta do Google é uma das mais importantes que existem quando trata-se de analisar métricas de sites, como: visitas, tempo gasto pelos usuários, taxa de rejeição e também dados de redes sociais. Depois de configurado ele permite você ter acesso a uma gama vasta de recursos podendo monitorar em tempo real as visitas e coletar informações do seu público-alvo.

O Analytics possui uma variedade extensa de métricas

As principais métricas são:

Visitas

O número de visitas mostra o total  de vezes que o site foi acessado, independente se os usuários acessaram mais de uma vez, ele irá somar todos os acessos de todas as páginas.

Visitantes

São visitantes únicos, o período para controlar se o visitante é único ou não é configurável, mas por padrão o Analytics considera um prazo de seis meses, período que o cookie fica armazenado no dispositivo.

Visualizações de página

A soma de visualizações inicia-se quando um usuário acessa sua página, mas isso é diferente dele visitar seu site, essa métrica é considerada como uma métrica de vaidade ,visto que um site pode ter um número expressivo de visualizações de página e não propriamente de navegação e interação com outras páginas.

Taxa de rejeição

É quando o usuário acessa uma única página, são sessões que o usuário saiu sem navegar por outras páginas do seu site. Com os dados de números de visitas únicas da página e o número de vezes com apenas uma visita, o Analytics faz um calculo e retorna com uma porcentagem de rejeição.

Origens de Tráfego

Uma das métricas que mais ajudam os anunciantes a saber em qual mídia investir mais e onde efetivamente está o seu público, se eles vieram do Facebook ou da rede de pesquisa do Google por exemplo.

Busca orgânica

Mostra as palavras-chave que os usuários utilizaram para encontrar seu site em mecanismos de pesquisa como Google e Bing por exemplo.

Tráfego pago

São os visitantes que clicaram nos seus anúncios, se você tem uma campanha ativa no Google Adwords essa métrica mostra quantos visitantes você teve por meio do CPC (custo por clique).

Links

Essa métrica conta cliques de outros sites, se o seu está referenciado em qualquer outro como blogs e portais, entre outros.

Tráfego Direto

Quando o usuário digita o endereço do site na barra de navegação irá contar como tráfego direto.

7 – RD STATION

O RD Station é uma ferramenta online que gerencia e automatiza estratégias de Marketing Digital, fazendo uma automação completa, podendo controlar os visitantes, as oportunidades de negócio, além de monitorar as vendas e resultados.

Essa plataforma ajuda a transformar seus visitantes em “leads”, que são potenciais clientes, para que você possa monitora-los e nutri-los até a decisão de compra. Uma das grandes vantagens do RD Station é a verificação de resultados, poder medir e saber exatamente o retorno que cada canal e campanha está trazendo para sua empresa.

Um exemplo de leads gerados através de um pop-up implantado no site de um cliente da yard.

Funcionalidades:

  • Anúncios no Facebook
  • Mídias Sociais
  • Otimização para (SEO)
  • Landing pages, formulários e pop-ups
  • E-mail Marketing
  • Teste A/B
  • Automação de Marketing
  • Monitoramento de contatos
  • Gestão de contatos e Lead Scoring
  • Planos de sucesso
  • Análise
  • Marketing BI
  • Entre outras

E aí, curtiu as dicas? Quer saber mais sobre o RD StationSolicite uma demonstração do software.

Quer conhecer outras ferramentas para empresas? Fica ligado aqui no nosso blog, toda a semana temos um artigo novo.

Este planejamento que fará você e sua empresa alcançarem as metas em 2018

Este planejamento que fará você estabelecer e alcançar as metas de 2018

Agora que a virada de ano passou, você já comeu tudo que tinha direito na ceia e fez muita festa durante a virada, e os pensamentos para este ano já começam a aparecer, porém com uma certa carga de preocupação, não é mesmo? Algumas realizações de 2017 começam a ser relembradas e você se depara novamente com uma lista nova de objetivos para este ano. São momentos de planejamento, expectativas para botar a mão na massa, algumas dificuldades, altos e baixos, um tropeço ali, uma conquista ali…, mas no final, sabemos que estamos construindo, aos poucos, o futuro que almejamos. Que tal parar e ponderar um pouquinho sua lista de realizações e repensar a forma de organizá-lá? As dicas que vou dar são importantes para a sua vida pessoal, mas principalmente para o trabalho! É fundamental que você aplicar isso em suas tarefas do dia-a-dia e também repasse para seus colaboradores e colegas de trabalho. Então vamos planejar!

2018 chegou, faça um planejamento para o ano novo

O novo ano chegou! Como está seu planejamento para 2018? Imagem: d.wildapricot.net

Já percebeu que temos o costume de fazer uma lista imensa de objetivos para o ano, porém não temos o costume de colocá-las em uma ordem, ou estruturar um planejamento de início de ano de forma organizada e visível? Normalmente, lembramos das metas apenas nos primeiros meses do ano e, com a rotina do trabalho, estudos, família, deixamos nos levar e quando nos deparamos estamos onde? Exatamente, no final de mais um ano, com o pensamento de alcançar os mesmos objetivos que havíamos programados para o ano que passou. Por isso chegou a hora de acabar com esse círculo vicioso em 3 passos!

Primeiro passo: Quebre paradigmas e amplie sua forma de pensar

O que “quebrar paradigmas” significa? Que você não deve colocar em um pedestal ou julgar como um E.T quem conseguiu atingir os objetivos que traçou durante o ano, pois isso acaba criando uma barreira na sua mente e um péssimo costume de pensar que não conseguimos fazer o que queremos por causa de alguma desculpinha como… falta de tempo. Esqueça as desculpas, chegou a hora de agir!

Segundo passo: Antes de fazer sua lista, lembre que o ano tem 12 meses

E esses 12 meses passam rápido! Por isso, trace metas alcançáveis e um ou dois objetivos “master” (esses vão exigir um pouquinho mais de você e tomarão mais tempo). Organize-se durante os meses, distribua suas metas em trimestrais ou semestrais. Delegue entre os responsáveis e liste todas as ações necessárias que você deverá tomar para alcançá-la. Cheque sua lista mensalmente, coloque datas e limites de realizações. Essa atitude evitará frustrações.

Terceiro passo: Não deixe que as metas sejam “esquecidas”

Coloque sua lista em um local visível, de forma dinâmica e colorida. Tem que ser algo que você olhe diariamente e lembre que parte do seu tempo todos os dias deve ser destinado para seguir para alcançar estas metas. Reorganize-se. Reinvente. Eaí, pronto para começar?

Para não ficar apenas nas dicas básicas e para colocar em prática o que estamos falando, preparei algo mais objetivo do que o que escrevi até agora. Olha aí como você pode fazer seu planejamento de metas a partir de agora.

Análise SWOT do seu mercado, seu trabalho, sua vida

Acredito que você já deve ter ouvido falar em “Análise SWOT” ou “Matriz SWOT”, não é mesmo? Se não, prepare-se para encarar as coisas boas e ruins, tanto da sua vida quanto do seu negócio de forma quase que revolucionária. Por que eu acho esse método tão efetivo? Ele serve justamente para qualquer situação, como descrevi ali no título: seu mercado, seu trabalho, sua vida. Então, será perfeito durante o planejamento para 2018. Você começa a ponderar as coisas boas e as coisas não tão boas assim e o principal: entende que as coisas não tão boas podem, com uma dose de perseverança, ser perfeitamente alcançadas e vencidas.

Em uma lista, elenque pontos fracos, pontos fortes, oportunidades e ameaças.

– Pontos fortes e pontos fracos: são suas questões internas. Por exemplo, como dono de um negócio, seu ponto fraco seria pouco engajamento da equipe, e o ponto forte seria a disponibilidade de investir em treinamentos.

Oportunidades e ameças: são questões externas. Por exemplo, oportunidade do seu negócio crescer pois não há concorrência direta. A ameaça pode ser uma alta carga tributária que irá impactar os primeiros anos do seu novo empreendimento.

Uma dica, é que você pode utilizar um quadro conforme imagem abaixo, ele deixa você visualizar o que está sendo levantado de forma mais clara:

Análise SWOT planejamento para 2018

Exemplo de quadro de Análise SWOT. Imagem: agendor.com.br

O que você deve lembrar ao aplicar uma análise SWOT efetiva dentro da empresa:

– Esse é o momento de levar TUDO em consideração, faça um verdadeiro brainstorming. Realize essa atividade em equipe, com os tomadores de decisão do negócio;

– Leve o tempo que for necessário, realize pesquisas, discuta em grupo. Este momento é a base de tudo que será construido ao longo do ano;

– Utilize elementos visuais para tornar o momento mais dinâmico e despertar a criatividade: quadros, canetas coloridas, post its, músicas de fundo, colagem de imagens… torne o momento manual! Proporcione este engajamento e interação entre a equipe.

– Crie grupos focais para cada grande assunto. Por exemplo: um grupo de pessoas será responsável pelas finanças, outro pela parte de relacionamento com stakeholders (comunidade externa com a qual os setores da empresa mantêm contato), benchmarking (que é responsável pelo processo de melhoria contínua e busca de resultados), por exemplo.

Terminada a Análise SWOT? Agora elabore um o plano de ação!

Depois de concluir sua Análise SWOT, faça uma pausa para o café chegou a hora de escrever as ações de melhoria e traçar um plano de metas alcançáveis, tudo isso de acordo com o que foi levantado em sua análise. Não se esqueça: Não crie metas mirabolantes, isso fará apenas que você se frustre.

Crie uma planilha com os seguintes dados:

– Data do dia que a ação foi determinada;

– Grupo focal que esta ação pertence;

– Descrição da ação;

– Responsável pela ação;

– Data limite de realização.

Alimente esta planilha e realize o check das ações mensalmente, isso ajudará você a não se perder no planjemanto para o ano novo e facilitará o controle das metas alcançáveis.

Bônus 1: lembra que falei do objetivo master? Agora que ele aparece! Ele exigirá um pouco mais de você e sua equipe, será o esforço extra que vocês farão, diariamente ao longo do ano, para atingir um objetivo novo ou superar um obstáculo em 2018, esse será seu objetivo mirabolante do ano, por isso não faça mais que dois. Faça um plano de ação só para ele, com metas semanais mais fáceis, que não poderão ser esquecidas ou deixadas de lado. Lembre do objetivo master durante as reuniões, deixe-o igualmente visível junto das outras metas, de preferência com maior destaque.

Bônus 2: Caso você esteja fazendo essa planilha para sua vida pessoal, faça da mesma maneira, a única diferença é que o responsável pelo resultado das ações será somente você!)

Mãos à obra, execute um 2018 melhor!

Depois de ter feito a Análise SWOT e o seu plano de ação, não se esqueça de alguns pontos ao longo deste dia de planejamento para 2018:

– Faça esse momento com a equipe (ou com você mesmo) ainda em janeiro, afinal de contas, não podemos fazer um planejamento anual em março e o primeiro momento de “check” em abril;

– Não deixe que essa atividade seja levada de forma banal, separe pelo menos um dia para executá-la com dedicação;

– Para deixá-la mais interessante, você pode fazer algumas coisas diferentes, como dinâmicas motivacionais e impactantes (nada de chatice!), ou proporcionando um momento de palestra com conteúdo relevante para o seu negócio. Você pode realizar a atividade em local diferente, longe da empresa e que nunca foi usado antes;

– Realize momentos mensais para o “check” das ações, entenda o que não está acontecendo e o motivo para não ter acontecido. E converse! A comunicação é fundamental;

– Troque ideias e delegue as ações entre os responsáveis. Lembre-se dos grupos focais;

– Lembrando novamente: coloque as ações e as metas em local visível e de maneira que atraia a atenção. Isso faz com que você não se esqueça delas!

Apesar de parecer um pouco técnico, é fundamental você realizar um planejamento para 2018 com metas alcançáveis e controle mensal de suas ações. Não encare isso como algo difícil, é mais fácil que parece! Leve de forma leve e natural, converse, troque ideias, pesquise, faça diferente. Este momento é de crescimento e aprendizagem. Encare-o de maneira divertida, quebre os paradigmas.

Quer mais dicas para tornar sua empresa melhor? Acompanhe nosso blog!