branding

Quando fazer um rebranding da sua marca?

Blog
Por Bruno
25 de maio de 2021 | 5 minutos

Sua marca é conhecida, tradicional, está há anos no mercado e vai muito bem, obrigado. Mas, por outro lado, você se dá conta de que o cenário agora é outro. Sua logo soa antiquada, sua identidade visual está estacionada no tempo e seu mascote, nossa… já parece uma paródia dele mesmo. Vale a pena arriscar e reformular tudo que você construiu durante anos? Se vale, qual é o momento certo para um rebranding? Acompanhe comigo e vamos trocar uma ideia.

Entende-se por rebranding a estratégia de modificar aspectos da sua marca para mudar a forma com que ela é vista no mercado. Seja para atingir um novo público, para se adaptar à modernidade, reverter crise de imagem, por aí vai. Os motivos podem ser diversos, mas mudanças são sempre bem vindas. Ter uma empresa líder no mercado não quer dizer que ela precise parar no tempo e manter a mesma fórmula eternamente.

Quem trabalha com publicidade (ou simplesmente adora esse universo), possui percepção de relevância, das tendências e do que evitar quando se trata de identidade de marca. Mas muitas vezes a pessoa dona daquela empresa não possui interesse nisso, pois foca nos números, no negócio e não se interessa em alterações. Às vezes já se apegou tanto ao que a marca é, que fazer mudanças parece algo absurdo e só consegue ceder às atualizações com uma boa argumentação da equipe de marketing.

Qual é a razão de pensar em rebranding agora?

Pense como um dono de empresa: Você estabeleceu seu branding há anos, em uma época em que aquilo que foi idealizado era o melhor que você podia oferecer ao mercado. Mas agora, a loja ao lado tem um ar tão sofisticado, moderno e inclusivo, que a sua empresa de tantos funcionários parece estar ficando para trás.

“Mas se minhas vendas estão altas e minha reputação nunca esteve melhor, preciso mesmo mudar?”. A resposta é sim. Podemos acompanhar frequentemente muitos cases de empresas grandes que  arriscam em mudanças significativas, seja no logo, nas cores, no mascote e até mesmo no nome, seja para uma versão alterada do mesmo ou um jogo de palavras que mantenha a essência e a representação. Um caso interessante é o Ponto Frio, que agora é apenas Ponto. Muitas vezes o rebranding é tão bom que nem nos damos conta, apenas continuamos consumindo aquela marca pois sabemos o que ela representa, independente do mascote ter mudado e o slogan ter sido substituído. É esse o desafio que sua empresa deve tomar.

rebranding-logo-ponto-frio

Quando falamos de rebranding, devemos levar em consideração que não é apenas deixar o mascote 3D ou fazer do logo algo minimalista, pois isso vai muito além do visual. Será que sua empresa mantém valores condizentes com o mundo que vivemos hoje? Você leva em consideração a diversidade e o que a sociedade considera nos dias atuais como sendo certo ou errado? Uma marca deve se conectar por completo com seu público e ser cada vez mais atraente para quem ainda não teve a chance de ter contato com ela.

Quando se trata de rebranding, temos alguns cenários específicos em que uma empresa pode estar localizada, vou citar alguns exemplos:

A marca conservadora

Empresa tradicional, com anos de mercado, mas que mantém o branding de décadas atrás, pois foi com ele que ela se estabeleceu e se tornou gigante no segmento. Todos reconhecem sua logo e seu nome, filiais não param de abrir e seu slogan é tão marcante que se tornou referência de boa publicidade.

Sensacional! Mas… seus comerciais são inclusivos? Suas redes sociais são atualizadas com frequência e com bom planejamento? Você está em contato com os seus clientes de forma humanizada? Os tempos mudaram e se você não acompanhar, seu público fiel pode começar a se interessar mais pelo seu concorrente. Talvez pequenas mudanças no relacionamento com o cliente, modernização da identidade visual e linguagem menos conservadora podem ser o suficiente para dar aquela atualizada na sua marca, sem precisar transformar tudo. 

O declínio em performance

Talvez sua marca seja a do cenário anterior e o rebranding não foi feito. Suas vendas já não são como antes, seu contato com o cliente é engessado e já se tornou desagradável. Sua identidade visual é a mesma há muito tempo e gera um grande contraste com a de outras empresas. Nesse momento, o melhor a fazer é criar uma estratégia para decidir se o seu público-alvo ainda é o mesmo ou se ele mudou. Como sua marca já é conhecida e possui uma boa reputação, o desafio é moderado e as mudanças serão bem-vindas para que a sua marca se mantenha no mercado, bem como continue competitiva.

A crise de imagem

O maior desafio de uma marca é passar por uma crise, seja ela em performance e lucros ou institucional. Muitos fatores podem levar a sua marca a perder o respeito e ferir sua reputação e isso também pode se encaixar no que eu comentei sobre modernizar seus valores para ter um contato melhor com o público. É algo que pode acontecer repentinamente, como um incidente dentro de uma de suas lojas envolvendo um de seus funcionários, ou uma propaganda que ofende algum grupo social.

São coisas minuciosas que podem se tornar uma avalanche de problemas que resultará em um rebranding feito às forças. Agora que o nome da sua marca gerou sinônimo de polêmicas, deixar a logo com outra cor não vai adiantar em nada. O mascote? Agora é vilão. É hora de repensar tudo que envolve a alma da empresa e se reposicionar no mercado. Estudar a sociedade atual e encaixar sua empresa nos valores correspondentes a ela é fundamental para a reaproximação com seu público. Só tome cuidado para não soar forçado e desesperado, tudo deve ser feito com bastante estratégia e paciência.

Sob nova direção

O dono mudou ou sua empresa se fundiu com outra. Nesses casos, essas mudanças poderão causar estranheza e confusão no público, portanto, é necessária uma reformulação na marca. O rebranding nesses casos vai esclarecer o que houve com a marca e a razão por trás das mudanças. É importante transparecer que sua empresa irá manter a qualidade conhecida e que essas mudanças não irão prejudicar a experiência do cliente.

Também é essencial que sua nova marca seja associada positivamente à anterior durante esse processo de rebranding, para que as pessoas não achem que é uma empresa nova e possam ter alguma desconfiança na qualidade do serviço que ela presta.

Concluindo

Seja por qualquer motivo que mencionei neste artigo, o rebranding de uma marca deve ser visto como algo bom, afinal muitas mudanças ocorrem mundialmente. O segredo do sucesso é gerar estratégias que façam dessas transformações um sinal de que sua empresa está atenta ao mercado e tem ambição em continuar sinônimo de qualidade e segurança. Por fim, caso sua empresa precise passar por mudanças na marca, não pode-se esquecer de atualizar os dados no orgão responsável.

Artigos Relacionados

branding

Dicas de naming para marcas, produtos e projetos

Autor Lucas Ribas | 10 minutos
Quer saber como criar nomes criativos para empresas, fique ligado neste artigo! Naming é o processo de dar nome à uma marca, produto ou projeto. E não só relacionado à empresas, também pode ser considerado o processo de dar nome à um filho, por exemplo. O naming é muito importante, pois o... Leia Mais
branding

Tendências de design para 2021

Autor Alisson | 6 minutos
2020 foi um ano de superação para todos nós. Houve um amadurecimento na cabeça dos empresários que hoje estão aceitando e aplicando cada vez mais as práticas de um bom design. Hoje vou te apresentar as tendências de design para 2021 segundo os maiores profissionais da área. ⚠️... Leia Mais
branding

Como fidelizar e encantar seus clientes no e-commerce

Autor Alisson | 8 minutos
Com certeza você já notou que existem muitos comércios eletrônicos parecidos por aí, diferenciar-se é ainda mais difícil se seu segmento é muito concorrido nesse mundaréu de e-commerces. Mas não é impossível, já que são poucos os que realmente se importam em ser diferentes nesse meio.... Leia Mais